Pontos Cantados

Ogum

A sua espada é de ouro

Se a sua espada é de ouro
Sua coroa é de rei
Ogum é tatá na Umbanda seu Cangira mungongo, Ogunhê
Ogum é tatá na Umbanda seu Cangira mungongo, Ogunhê

Auê, auê Ogum Beira Mar auê

Auê, auê, Ogum Beira Mar auê
Auê, auê, Ogum Beira Mar auê
Auê, auê, Ogum Beira Mar auê
Iansã virou o tempo
Pra Oxum não governar
Mas durante o barravento
Oxum se pôs a cantar

Brilhou no céu, brilhou no mar (Ogum)

Brilhou no céu, brilhou no mar
A lança de São Jorge refletindo no luar
Ogum é São Jorge meu santo protetor
Daí força aos meus irmãos, saúde, paz e amor
Brilhou no céu, brilhou no mar
A lança de São Jorge refletindo no luar

Cavaleiro da Alvorada (Beira-Mar)

Na alvorada um cavaleiro surgiu
Com sua lança e seu escudo a brilhar
Seu capacete reluzia em pleno céu
Ele é Ogum, ele é Seu Beira-Mar
Seu capacete reluzia em pleno céu
Ele é Ogum, ele é Seu Beira-Mar
Salve meu Pai Ogum, ele vem trabalhar
Ele vence demanda, salve seu Beira-Mar

Defensor do Cruzeiro do Sul

Que cavaleiro é aquele que vem cavalgando pelo céu azul
É seu Ogum Matinata ele é defensor do Cruzeiro do Sul
Eee, eea, eee seu Cangira, pisa na Umbanda
Eee, eea, eee seu Cangira, pisa na Umbanda
Olha que barco bonito que vem navegando em pleno mar
É seu Ogum Sete Ondas que vem ao encontro de Ogum Beira-Mar
Eee, eea, eee seu Cangira, pisa na Umbanda
Eee, eea, eee seu Cangira, pisa na Umbanda

Despedida de Ogum

Oooooh, aaaah, oooooh, adeus Ogum
Adeus Cavaleiro de Umbanda, Adeus Ogum
Adeus guerreiro de Aruanda, Adeus Ogum
Ogum…. Ogum

Espuma do Mar

Ogum não devia beber
Ogum não devia fumar
A fumaça é a nuvem que passa
E a cerveja é espuma do mar
A fumaça é a nuvem que passa
E a cerveja é espuma do mar

Eu não seria nada

Eu não seria nada
Se não fosse Ogum para abrir a minha estrada
Valente guerreiro aqui chegou
Vencedor de demandas, meu protetor
Em sua trajetória, meu pai luta contra o mal
Foi nos campos de batalha que se tornou general
Eu não seria nada
Se não fosse Ogum para abrir a minha estrada
Salve Ogum de Ronda, salve seu Ogum Megê
Saravá Beira Mar, Ogum Iara, Ogum de Lei
Salve toda falange do glorioso guerreiro
Que corta toda demanda, aqui dentro do terreiro
Eu não seria nada
Se não fosse Ogum para abrir a minha estrada

Filho de Ogum corre campo

Filho de pemba bebe água no rochedo
Filho de Ogum corre campo e não tem medo
Vou pedir ao criador
Que derrame seu amor
Aos nossos guias e ao nosso babalaô

Nessa casa de guerreiro

Nesta casa de guerreiro, Ogum
Vim de longe pra rezar, Ogum
Louvo a Deus pelos doentes, Ogum
Na fé de Obatalá, Ogum
Ogum salve a casa santa, Ogum
Os presentes e os ausentes, Ogum
Salve nossas esperanças, Ogum
Salve velhos e crianças, Ogum
Preto Velho ensinou, Ogum
Na cartilha de Aruanda, Ogum
E Ogum não esqueceu, Ogum
Como vencer a quimbanda, Ogum
A tristeza foi embora, Ogum
Na espada de um guerreiro, Ogum
E a luz do romper da aurora, Ogum
Vai brilhar nesse terreiro, Ogum

Ogum Beira-Mar, caboclo do mar

Na onda do mar navega Beira-Mar
Na onda do mar vem o caboclo do mar
Na onda do mar navega Beira-Mar
Na onda do mar vem o caboclo do mar
Iemanjá traz a força do mar
Da sua força nasceu seu Beira-Mar
Iemanjá traz a força do mar
Da sua força nasceu seu Beira-Mar
Ogum respeita o céu
Ogum respeita a terra
Ogum respeita o mar
Ogum na água é o caboclo do mar
Ogum na água é o caboclo do mar

Ogum das pedreiras

Ogum guarda pedreira, mandado por Oxalá
Com a espada e com a lança, Ogum
Seus filhos vem ajudar, Ogum
Ogum guarda pedreira, mandado por Oxalá
Com a espada e com a lança, Ogum
Seus filhos vem ajudar, Ogum

Ogum de Lei, Mensageiro de Oxalá

Ogum de Le, Le, Le, Le, Le, Le, lei
Ogum de Lei é tatá no arerê
Ogum de Le, Le, Le, Le, Le, Le, lei
Ogum de Lei é tatá no arerê
Em seu cavalo branco ele vem montado
De espada na mão ele vem armado
Ele vem armado para o arerê
Ele vem armado pra nos proteger
Ele é Ogum, é Ogum de Lei
Ele é Ogum, é Ogum de Lei

Ogum de Lei, meu pai

Ogum de lei meu pai, to lhe chamando
Ogum de lei meu pai, to lhe esperando
Ogum de lei meu pai, to lhe chamando
Ogum de lei meu pai, to lhe esperando
Com sua espada sua lança na mão
Ogum de lei é vencedor de demanda, Ogum

Ogum em seu cavalo corre

Ogum em seu cavalo corre
E a sua espada reluz
Ogum, Ogum Megê
Sua bandeira cobre os filhos de Ogum, Ogunhê

Ogum foi praça de cavalaria

Ogum foi praça de cavalaria
Guerreou dez anos na infantaria
Oi viva fé e ele passou a major
E ganhou heranças da Virgem Maria

Ogum Iara aos pés da Santa Cruz

Seu cavalo corre sua espada reluz
Sua bandeira cobre todos os filhos de Jesus
Seu cavalo corre sua espada reluz
Auê seu Ogum Iara, aos pés da Santa Cruz
Seu cavalo corre sua espada reluz
Sua bandeira cobre todos os filhos de Jesus
Seu cavalo corre sua espada reluz
Auê seu Ogum Iara, aos pés da Santa Cruz

Ogum já venceu

Ogum já venceu, já venceu, já venceu
Ogum vem de aruanda quem lhe manda é Deus
Ele vem beirando o rio, ele vem beirando o mar
Oi Salve Santo Antonio da Kalunga
Benedito e Beira-Mar

Ogum Megê, Ogum Beira-Mar

Ogum Megê, Ogum Beira-Mar
Ogum Megê, Ogum Beira-Mar
São Jorge guerreiro que manda na terra que manda no mar
São Jorge guerreiro que manda na terra que manda no mar
Ogum Megê é seu guia
Ogum Megê é seu pai
Saravá seu Jorge Guerreiro
Filho de Umbanda não cai

Ogum Naruê

Magia, magia que faz o meu corpo tremer
Magia, magia que chega em silêncio sem a gente ver
É senhor Ogum, é o Rei da magia que vem nos socorrer
É senhor Ogum, quem vence a magia é Ogum Naruê
Ogunhê
Magia, magia que faz o meu corpo tremer
Magia, magia que chega em silêncio sem a gente ver
É senhor Ogum, é o Rei da magia que vem nos socorrer
É senhor Ogum, quem vence a magia é Ogum Naruê
Ogunhê

Por entre Mares

Por entre matas, por entre mares e terra
Eu entendi o que meu pai quis dizer
Ogum não devia beber
Ogum não devia fumar
Mas a fumaça são as nuvens que passam
E a espuma as ondas do mar

Quem esta de ronda é São Jorge

Quem esta de ronda é São Jorge
Deixa São Jorge rondar
Quem esta de ronda é São Jorge
Deixa São Jorge rondar
São Jorge é guerreiro que manda na terra que manda no mar
São Jorge é guerreiro que manda na terra que manda no mar
Saravá meu pai
Saravá meu pai
Girar é bom, girar é bom, girar é bom, é bom girar

Salve Ogum Megê, Ogum Rompe-Mato, Ogum Beira-Mar

Salve Ogum Megê, Ogum Rompe-Mato, Ogum Beira-Mar
Ele trabalha na areia, meu pai
Ele trabalha no mar
Salve Ogum Megê, Ogum Rompe-Mato, Ogum Beira-Mar
Salve Ogum Megê, Ogum Rompe-Mato, Ogum Beira-Mar
Ele trabalha na areia, meu pai
Ele trabalha no mar
Salve Ogum Megê, Ogum Rompe-Mato, Ogum Beira-Mar

Se meu Pai é Ogum, vencedor de demanda

Ogum vencedor de demanda
Quando vem de aruanda, é pra salvar filho de umbanda
Ogum, Ogum Iara
Ogum, Ogum Iara
Salve os campos de batalha, Salve mamãe Iemanjá
Ogum, Ogum Iara
Ogum, Ogum Iara

Ogum venceu a guerra já mandei zoiá, zoiá
Ogum venceu dilei, já mandei zoiá, zoiá

Ogum foi praça de cavalaria
Guerreou dez anos na infantaria
Oi dia fé e ele passou a major
Foi ordenança da Virgem Maria

Em cavalo de Ogum ninguém põe a mão
Em cavalo de Ogum ninguém põe a mão
Ele é sagrado meu pai, ele é sagrado
Ele é sagrado meu pai, ele é sagrado

Sete ondas, bela surpresa

Oh filho de umbanda
Seu Sete Ondas vem do Humaetá
Que bela surpresa
Vem de aruanda nos abençoar
Oh bela surpresa
Bela surpresa como vai você
Que bela surpresa
Vem de aruanda pra nos proteger

Sua espada brilha no raiar do dia

A sua espada brilha no raiar do dia
Seu Beira-Mar é filho da Virgem Maria
Beira Mar, beira na areia
Seu Beira-Mar é filho da Virgem Maria
A sua espada brilha no raiar do dia
Seu Beira-Mar é filho da Virgem Maria
Beira Mar, beira na areia
Seu Beira-Mar é filho da Virgem Maria

Subida de Ogum 1

Oxalá esta chamando
Ogum lá no Humaetá
Pra lhe dar uma bandeira
E mandar ele jurar
Se ele é capitão, ele vai jurar
E se for de angola, também vai jurar
Se for Ogum de Lei, ele vai jurar
E se for de Nagô, também vai jurar

Tenho minha espada pra me defender

Eu tenho a minha espada pra me defender
Eu tenho Ogum em minha companhia
Ogum é meu Pai, Ogum
Ogum é meu guia
Ogum é meu Pai
Seu Sete Ondas filho da Virgem Maria

Anúncios
Nanã

Pontos de Nanã

Atraca, atraca que aí vem Nanã

Atraca atraca que aí vem Nanã, ea
Atraca atraca que aí vem Nanã, ea
Atraca atraca que aí vem Nanã, ea
Atraca atraca que aí vem Nanã, ea
É Nanã, é Oxum é que vem saravá, ea
Atraca atraca que aí vem Nanã, ea
Atraca atraca que aí vem Nanã, ea
Atraca atraca que aí vem Nanã, ea
Atraca atraca que aí vem Nanã, ea

Lá vem Vovó com sua canoa

Lá vem vovó com sua canoa remando no mar
Lá vem vovó com sua canoa remando no mar
Lá vem vovó com sua canoa remando no mar
Lá vem vovó com sua canoa remando no mar
Oh Nanã, oh Nanã Buruquê
Eu quero ver onde é sua morada
Oi Nanã mora, mora na cachoeira
Mora no rio, e mora nas ondas do mar
Oh Nanã, oh Nanã Buruquê
Eu quero ver onde é sua morada
Oi Nanã mora, mora na cachoeira
Mora no rio, e mora nas ondas do mar

Na lagoa de Nanã

Na lagoa de Nanã, saluba Nanã Buruquê
Na lagoa de Nanã, saluba Nanã Buruquê
Encanta os seus filhos, saluba Nanã Buruquê
Com seu manto iluminado, saluba Nanã Buruquê
Água e terra é seu poder, saluba Nanã Buruquê

Cordeiro de Nanã

Sou de Nanã aaaae, sou de Nanã aaaae
Sou de Nanã aaaae, sou de Nanã aaaae
Sou de Nanã aaaae, sou de Nanã aaaae
Sou de Nanã aaaae, sou de Nanã aaaae
Sou de Nanã aaaae, sou de Nanã aaaae

Epa, epa, epa Nanã

Epa, epa, epa, Nanã aluaê
Epa, epa, epa, Nanã aluaê
Epa, epa, epa, Nanã aluaê
Epa, epa, epa, Nanã aluaê

Eu vi Nanã

Eu vi Nanã, eu vi
Sentada na beira do poço
Senhora Santana com o seu manto roxo
Divina Nanã, oi divina Nanã
Venha nos ajudar
Eu vi Nanã, eu vi
Senhora Santa Buruquê, Saluba

Nanã seus filhos lhe pedem

Oh Nanã Buruquê seus filhos lhe pedem seus filhos imploram
Venha ver o terreiro e levar todo o mal na sua marola
Saravá Nanã, auê
Saravá Nanã, aua
Saravá Nanã
Na beira do rio e nas ondas do mar

Nanã (Iorubá)

Nanã é jóaci ialodê
Oh Nanã quibaciló ialodê
Nanã é jóaci ialodê
Oh Nanã quibaciló ialodê
Nanã é jóaci ialodê
Oh Nanã quibaciló ialodê

São flores Nanã, são flores

São flores Nanã, são flores
São flores Nanã Buruquê
São flores Nanã, são flores
De seu filho Abaluaê
São flores Nanã, são flores
São flores Nanã Buruquê
São flores Nanã, são flores
De seu filho Abaluaê
Nas horas de agonia
Quem sempre vem me valer
É seu filho Nanã, é meu pai
Ele é Abaluaê
Ah senhora Santana
É Nanã Buruquê
Ela é mãe dos Orixás
São Roque é Abaluaê
São flores Nanã, são flores
São flores Nanã Buruquê
São flores Nanã, são flores
De seu filho Abaluaê

Saravá Nanã Buruquê

Lerê, lerê, lerê, vamos saravá Nanã Buruquê
Lerê, lerê, lerê, vamos saravá Nanã Buruquê
Na ponta da fita tem dendê, vamos saravá Nanã Buruquê
Lerê, lerê, lerê, vamos saravá Nanã Buruquê
Lerê, lerê, lerê, vamos saravá Nanã Buruquê
Quem corta o mal e salva você, é Nanã, Nanã Buruquê
Lerê, lerê, lerê, vamos saravá Nanã Buruquê
Lerê, lerê, lerê, vamos saravá Nanã Buruquê
Quem é mãe de Abaluaê, é Nanã, é Nanã Buruquê
Lerê, lerê, lerê, vamos saravá Nanã Buruquê
Lerê, lerê, lerê, vamos saravá Nanã Buruquê
Eu já louvei Iansã, eu já louvei Oxum
Agora é você, é Nanã, é Nanã Buruquê
Lerê, lerê, lerê, vamos saravá Nanã Buruquê
Lerê, lerê, lerê, vamos saravá Nanã Buruquê

Senhora Santana quando andou pelos montes

Senhora Santana quando andou pelos montes
Por onde passava deixava uma ponte
Os anjos que vinham beber água dela
Que água tão linda, Senhora tão bela.

Pontos de Nanã

Marinheiros

Pontos de Marinheiros

 

A onda me trouxe

A onda me trouxe, o vento me leva
Quando a onda passar, eu me sento na pedra
A onda me trouxe, o vento me leva
Quando a onda passar, eu me sento na pedra

Artilharia já salvei

Artilharia já salvei, artilharia já salvei
Lá na ribeira deu sinal
Artilharia já salvei, artilharia já salvei
Lá na ribeira deu sinal
Seu marinheiro agüenta o leme
Seu marinheiro agüenta o leme
E não deixa o barco virar
Não deixa o barco virar

Artilharia já salvei, artilharia já salvei
Lá na ribeira deu sinal

Lá fora apitou o navio

Lá fora apitou um navio
Ele apitou e tornou a apitar
A barra esta toda tomada
Dos marinheiro de Martin parangola
Lá fora apitou um navio
Ele apitou e tornou a apitar
A barra esta toda tomada
Dos marinheiro de Martin parangola

A barquinha virou

A barquinha virou
Virou nas ondas do mar
A barquinha virou
Marinheiro não soube remar
A barquinha virou
Virou nas ondas do mar
A barquinha virou
Marinheiro não soube remar

Boca de garrafão

Marujo bebe na boca do garrafão
Pisa de pé em pé pra não cair não chão
Marujo bebe na boca do garrafão
Pisa de pé em pé pra não cair não chão
Marujo bebe na boca do garrafão
Samba a noite inteira com a garrafa na mão
Marujo bebe na boca do garrafão
Samba a noite inteira com a garrafa na mão

Eu viajei o mar inteiro

Eu viajei camarada, o mar inteiro
Ah eu remei camarada, o mundo inteiro
Eu viajei camarada, o mar inteiro
Ah eu remei camarada, o mundo inteiro
Água salgada meu mano, quem me criou
Eu vim do mar camarada, pro mar eu vou
Água salgada meu mano, quem me criou
Eu vim do mar camarada, pro mar eu vou

Martin Pescador

Oh Martin Pescador que banda é a sua
Bebendo cachaça e caindo na rua
Oh Martin Pescador que banda é a sua
Bebendo cachaça e caindo na rua
Eu bebo minha cachaça, eu bebo muito bem
Bebo com meu dinheiro, não é da conta de ninguém
Oh Martin Pescador que banda é a sua
Bebendo cachaça e caindo na rua
Oh Martin Pescador que banda é a sua
Bebendo cachaça e caindo na rua

Meu navio ficou no mar

Saltei em terra meu navio ficou no mar
Saltei em terra meu navio ficou no mar
De longe vejo uma faixa azul
Seu moço perguntou quem era
Sou o marujo filho de Dada Oxum
Seu moço perguntou quem era
Sou o marujo filho de Dada Oxum

Rema a Canoa

Rema a canoa, marinheiro
Rema a canoa, devagar
Essa canoa só feita
Pra Martin Parangola
Rema a canoa, marinheiro
Rema a canoa, devagar
Essa canoa só feita
Pra Martin Parangola

Marinheiro é hora

Marinheiro é hora, é hora de vir trabalhar
Marinheiro é hora, é hora de vir trabalhar
É pau, é chuva é pedra
Marujo nas ondas do mar
Marinheiro é hora, é hora de vir trabalhar
Marinheiro é hora, é hora de vir trabalhar
É pau, é chuva é pedra
Marujo nas ondas do mar

Marinheiro salvador

Seu marinheiro eu não sei porque
Toda madrugada eu sonho é com você
Marinheiro é bom, bom nesta corrente
Só o Marinheiro pra salvar toda essa gente

Marinheiro só

Eu não sou daqui, marinheiro só
Eu não tenho amor, marinheiro só
Eu sou da Bahia, marinheiro só
E de São Salvador, marinheiro só

Oh marinheiro, marinheiro, marinheiro só
Quem te ensinou a nadar, marinheiro só
Ou foi o tombo do navio, marinheiro só
Ou foi o balanço do mar, marinheiro só

Lá vem, lá vem, marinheiro só
Como ele vem faceiro, marinheiro só
Todo de branco, marinheiro só
Com o seu bonezinho, marinheiro só
Sai sai Catarina, saia do mar venha ver Idalina
Sai sai Catarina, saia do mar venha ver, venha ver

Sua morada é no mar

Seu Marinheiro sua morada é no mar
Seu Marinheiro sua morada é no mar
Eu vou, eu vou, remando, remando para o mar
Eu vou, eu vou, remando, remando para o mar
Seu marinheiro que balanço é esse
Seu marinheiro que balanço é esse
É seu barquinho que vai para o mar
Levando flores belas pra mãe Iemanjá
É seu barquinho que vai para o mar
Levando flores belas pra mãe Iemanjá

Minha jangada vai sair pro mar

Minha jangada vai sair pro mar
Pra trabalhar, meu bem querer
Se Deus quiser quando eu voltar do mar
Um peixe bom eu vou trazer, hei de trazer
Meus companheiros também vão voltar
E a Deus do céu vamos agradecer

Remeiro de Iemanjá

Foi num barquinho que a vovó me trouxe
É num barquinho que a vovó vai me levar
Foi num barquinho que a vovó me trouxe
É num barquinho que a vovó vai me levar

Eu sou remeiro, eu sou remeiro, eu sou remeiro
Eu sou remeiro, da Senhora Iemanjá
Eu sou remeiro, eu sou remeiro, eu sou remeiro
Eu sou remeiro, da Senhora Iemanjá

Vem marinheiro

Vem marinheiro dá licença de passar
Seu navio entrou no porto
Ele vem de alto mar
Já cruzei a hora grande, mar revolto eu enfrentei
Vou chamar pela pesqueira, para ver se ela vem
Quando eu pisar em terra, vou falar com minha velha
Meu navio foi no balanço, é no balanço é que ele vai
Meu navio foi no balanço, é no balanço é que ele vai

 

marinheiro