Omolu / Obaluaê

Pontos de Omolu/Obaluaê

Casinha Branca

Casinha Branca, casinha branca
Que eu mandei fazer
Para oferecer a meu Pai Omulu, meu pai Omulu
Seu atotô Abaluaê
Salve minha mãe Oxum
E salve Nanã Buruquê
Seu Atotô Abaluaê
Salve minha mãe Oxum
E salve Nanã Buruquê
Seu Atotô Abaluaê

Na força das Almas vem vibrando

Na força das almas vem vibrando
Quando a lua cheia iluminou
E brilha no cemitério
Clareando a cruz maior
Atotô, atotô, atotô, obaluaê
Atotô, atotô, na cruz maior eu adorei

O velho Omulu vem caminhando devagar

O velho Omulu vem caminhando devagar
O velho Omulu vem caminhando devagar
Apoiado em seu cajado, ele vem nos ajudar
Apoiado em seu cajado, ele vem nos ajudar
Omulu é dono da terra, atotô abaluaê
Omulu é dono da terra, atotô abaluaê

Louvar seu Nome

Omulu, omulu livrai-nos da sede, da peste e da fome
Omulu, omulu médico dos pobres hoje eu vim louvar seu nome
Atotô, Atotô Abaluaê
Com a sua dança espalha o seu poder
Atotô, Atotô Abaluaê
Venha nos salvar, oh, venha nos valer
Atotô, Atotô Abaluaê
Com a sua dança espalha o seu poder
Atotô, Atotô Abaluaê
Venha nos salvar, oh, venha nos valer

Quem ver um velho no caminho

Quem ver um velho no caminho toma benção
Quem ver um velho no caminho toma benção
Deus lhe abençoe, Deus lhe abençoe
Deus lhe abençoe, abaluaê, Deus lhe abençoe
Deus lhe abençoe, Deus lhe abençoe
Deus lhe abençoe, abaluaê, Deus lhe abençoe

Saudação à Omulu

Ele é um grande Orixá
Ele é o chefe da Kalunga
Ele é seu Atoto, oh Abaluaê
Ele é seu Atoto, oh Abaluaê
Ele é seu Atoto, oh Abaluaê
Ele é um grande Orixá
Ele é o chefe da Kalunga
Ele é seu Atoto, oh Abaluaê
Ele é seu Atoto, oh Abaluaê
Ele é seu Atoto, oh Abaluaê

Cadê a chave do baú
Só com reza e Omulu
Cadê a chave do baú
Só com reza e Omulu
Cadê a chave do baú
Só com reza e Omulu

Seu Omulu ê, Seu Omulu ê
Seu Omulu ê, Omulu é Orixá
Seu Omulu ê, Seu Omulu ê
Seu Omulu ê, Omulu é Orixá
Saravá seu Omulu, Omulu êê
Saravá seu Omulu, Omulu é Orixá

Salve a Calunga (Omulu)

Salve, salve, salve a Calunga
Salve, salve, salve a Calunga
Seu abaluaê, seu abaluaê
Atotô meu pai, Omulu
Seu abaluaê, seu abaluaê
Atotô meu pai, Omulu

 

ORIXÁ OMOLU

Anúncios
Fundamentos, Pontos Cantados

A importância dos Pontos Cantados

A Importância dos Pontos Cantados

Na Umbanda, um dos mais importantes fundamentos é o Ponto Cantado. Os Pontos Cantados são muito mais que cantigas de Umbanda, são cantigas em louvor aos Orixás e as linhas das Entidades trabalhadoras. O Ponto Cantado é um dos fundamentos mais importantes para a harmonização e eficácia dos trabalhos dentro de um Templo Umbandista.

Vamos resgatar um pouco da história. Antigamente, o homem materialista mais ligado aos aspectos físicos, buscou entender a verdadeira finalidade de sua existência, como já vimos em textos anteriores. Em virtude da necessidade de se religar com o Criador, buscou diferentes formas de contato. Uma das formas encontrada para a reaproximação com o Divino foi através da música, onde se exprimiam o respeito, a obediência e o amor ao Pai Maior. Desta forma, os cânticos foram incluídos nos rituais, sendo comum a todas as religiões, onde cada uma delas, com suas características próprias, exteriorizavam sua adoração, devoção e servidão aos desígnios do Plano Astral Superior. Desta forma, temos os Pontos Cantados na Umbanda, os mantras indianos, os Cantos Gregorianos da Igreja Católica, ou os Cantos de Louvor à Deus dos Protestantes.

O Ponto Cantado é uma prece, ou invocação das diferentes Falanges para as atividades ritualísticas no Centro de Umbanda. A harmonia dos sons é muito importante, pois gera uma vibração que facilita a vinda das Entidades de Luz, necessárias para os trabalhos, sendo uma verdadeira força mágica na Umbanda.
Na verdade, os Pontos Cantados são verdadeiros mantras, preces, rogativas, que dinamizam forças da natureza e nos fazem entrar em contato íntimo com as Potências Espirituais que nos regem. Existe toda uma magia e ciência por trás dos Pontos Cantados que, se entoadas com conhecimento, amor, fé e racionalidade, provocam, através das ondas sonoras, a atração, coesão, harmonização e dinamização de forças astrais sempre presentes em nossas vidas.

Os Pontos Cantados são evocações, em forma de pequenas histórias cantadas ou orações, contando quem é o Guia e/ou Orixá, sua forma de atuação, sua força diante das dificuldades, sua relação com os Orixás, um chamamento de um filho que procura ajuda ou proteção, entre outras colocações de festividade e manifestação de fé.

Outra função dos Pontos, ao serem cantados, é fazer descarregar e fluir as emoções dos médiuns em vibrações relacionadas com seus Guias e/ou seus Orixás, permitindo assim, um perfeito entrosamento e equilíbrio dos médiuns em seu trabalho.

Os Pontos Cantados podem ser de diversos tipos, a saber:

– Abertura ou licença para iniciar a gira, onde se pede a proteção dos Orixás, reforçando a ação dos sentinelas do templo, que são os Exus e os Caboclos, que formam uma espécie de cordão de isolamento permitindo a entrada apenas de Espíritos de Luz, e no momento certo, de espíritos necessitados de ajuda, mas que permanecem sobre seus controles.

– De Bate-Cabeça, que é a saudação ao Congá, visando a proteção para os trabalhos mediúnicos<

– Defumação e limpeza do Centro.

– Louvação e também conexão com as Entidades e/ou Orixás, que são Pontos Cantados para a chegadas das linhas de trabalho na Umbanda. Existem hinos específicos cantados para cada uma das linhas.

– Quebra de demanda.

– Abertura de caminhos.

– Despedida da Entidade, que não são apenas uma despedida da Entidade. Como os pontos fazem parte da magia da Umbanda, os pontos de subida servem para dar mais firmeza aos médiuns e auxiliando a Entidade a concluir seu trabalho, seja um descarrego, uma cura, ou qual seja sua missão.

– Fechamento da Gira, que serve para reequilibrar os chacras dos médiuns e prepará-los a voltarem às atividades cotidianas.

É preciso sempre ter em mente que os pontos cantados na umbanda são parte integrante de sua magia. Desta forma, os Pontos Cantados, por serem de grande importância e fundamento, devem ser alvo de todo o cuidado, respeito e atenção por parte daqueles que as utilizam, sendo ferramenta poderosa de auxílio às Entidades, que atuam dentro da Corrente Astral de Umbanda.

Defumação

Pontos de Defumação

– CLIQUE AQUI PARA OUVIR –

A Umbanda já acendeu seu candieiro

A umbanda já acendeu seu candieiro
A umbanda já firmou seu congá
A umbanda preparou o seu terreiro
Esta na hora vamos defumar
Oh mais como cheira, mas como cheira
Defumador de umbanda
Cheira alecrim, a umbanda
Cheira benjoim, a umbanda
Cheira alfazema, a umbanda
Pai Xangô, rei de umbanda
Venha nos defumar
Minha mãe sereia leve o mal para o fundo do mar
Estou defumando, estou incensando
Vou defumando, estou incensando
A casa do bom Jesus da Lapa
Nossa Senhora defumou seu filho
Defumou para limpar
Abrindo as portas pra felicidade entrar

Defuma com as ervas da Jurema

Defuma com as ervas da Jurema
Defuma com arruda e guiné
Alecrim, benjoim e alfazema
Vamos defumar filhos de fé

Vamos cruzar nosso terreiro
Vamos cruzar nosso congá
Vamos cruzar a nossa gira
Na fé de Pai Oxalá

Foi, foi Oxalá
Quem mandou eu pedir
Quem mandou implorar
Que as santas almas viessem me ajudar
Seu Tranca na encruza de joelho a gargalhar

Defumação – Corre gira Pai Ogum

Corre gira Pai Ogum, filho quer se defumar
Umbanda tem fundamento, é preciso preparar
Com incenso e benjoim, alecrim e alfazema
Defuma filhos de fé, com as ervas da Jurema

Defumei a minha banda

Defumei a minha banda e firmei meu jacutá
Da Bahia eu vim meus filhos, pra Bahia eu vou girar
Defumei a minha banda e firmei meu jacutá
Da Bahia eu vim meus filhos, pra Bahia eu vou girar
Defumei a minha banda e firmei meu jacutá
Da Bahia eu vim meus filhos, pra Bahia eu vou girar

Nossa Senhora incensou a Jesus Cristo

Nossa Senhora incensou a Jesus Cristo
Jesus Cristo incensou aos filhos seus
Eu incenso, eu incenso esta casa
Na fé de Oxóssi de Ogum e Oxalá
Estou incensando, estou defumando
A casa do Bom Jesus da Lapa

casa espirita de oxossi

Cosme e Damião

Pontos de Cosme e Damião

-CLICK AQUI PARA OUVIR-

A sua casa cheira

Cosme e Damião, a sua casa cheira
Cheira cravo, cheira rosa, cheira flor de laranjeira
Cosme e Damião, a sua casa cheira
Cheira cravo, cheira rosa, cheira flor de laranjeira

Cocada e Guaraná

Titia me deu cocada
Titio me deu guaraná
Gostei foi do caruru
Que a mamãe mandou preparar
Mamãe me deu caruru
Eu comi caruru de mamãe

Coco que faz a cocada

Na Bahia tem um coco
Coco que faz a cocada
Coco que faz o manjar
Para dar para a beijada
Doum, doum, doum,
Doum, Cosme e Damião
Doum, doum, doum,
Brinca sentado no chão

Damião cadê Doum?

Cosme Damião, Damião cadê Doum?
Doum ta passeando, no cavalo de Ogum
Cosme Damião, Damião cadê Doum?
Doum ta passeando, no cavalo de Ogum

Ibeijada esta de ronda

Ibeijada esta de ronda
São Jorge de prontidão
Salve o povo de aruanda
Salve Cosme e Damião

Ibeijada vai embora

Ibeijada já vai embora, aruanda esta lhe chamando
Ibeijada já vai embora, aruanda esta lhe chamando
E vão pro jardim lá do céu, Oxalá esta lhe esperando
E vão pro jardim lá do céu, Oxalá esta lhe esperando
Ibeijada já foi embora, aruanda estava chamando
Ibeijada já foi embora, aruanda estava chamando
E foram pro jardim do céu, Oxalá estava esperando
E foram pro jardim do céu, Oxalá estava esperando

Papai me mande um balão

Papai me mande um balão
Com todas as crianças que tem lá no céu
Papai me mande um balão
Com todas as crianças que tem lá no céu
Tem doce papai, tem doce papai, tem doce lá no jardim
Tem doce papai, tem doce papai, tem doce lá no jardim

casa espirita de oxossi

Boiadeiros

Pontos de Boiadeiros

 

A menina do Sobrado

A menina do sobrado mandou me chamar pra seu criado
Eu mandei dizer a ela, estou vaquejando meu gado
Alô boiadeiro, eu gosto de um samba arrojado
Alô boiadeiro, eu gosto de um samba arrojado

Folha por folha, na mangueira têm
Folha por folha, na mangueira têm
Minha guiada, êêê
Minha guiada, êêa

Água de Gravatá

Nas tranças dos seus cabelos,
Eu bebi água de gravatá seu boiadeiro,

Água ao pé da gruta

Água no pé da gruta
Na gruta da Santa Cruz
Seu Boiadeiro é hora, é hora
Sua guiada é de Jesus

Aparei minha roseira

Aparei minha roseira para tirar do caminho
Aparei minha roseira para tirar do caminho
Na aldeia de boiadeiro não se pisa em espinho
Na aldeia de boiadeiro não se pisa em espinho

São sete anos, com sete noites
Que eu andava, na juremeira
São sete anos, com sete noites
Que eu andava, na juremeira

Boa noite meus senhores

Zai, zai, zai, boa noite meus senhores
Zai, zai, zai, boa noite venham cá
Zai, zai, zai, eu me chamo boiadeiro
Zai, zai, zai, aqui e em qualquer lugar
Zai, zai, zai, boa noite meus senhores
Zai, zai, zai, boa noite venham cá
Zai, zai, zai, eu me chamo boiadeiro
Zai, zai, zai, não nego meu natural

Bóia Boiadeiro

Bóia boiadeiro, boiadeiro bóia
Se eu contar minha vida, boiadeiro chora

Boi preto

Ai patrão mas eu também sei carrear
Com ajuda de boi preto
Outra ajuda de boi tatá
Boto canga no boi preto
E vou puxar canaviar

Boiadeiro Trabalhador

De manhã cedo na capela bate o sino
Seu boiadeiro veio aqui para rezar
Trabalhador, não tem noite não tem hora
Galo cantou, ta pronto pra trabalhar

Chibata de Boiadeiro

Não toque nesse boi, que esse boi é cruzado
Ele é de boiadeiro, caboclo valente, sou seu afilhado
Se você precisar, boiadeiro está aqui
Mas não toque boi, que a ponta da chibata pode lhe ferir

Vem Boiadeiro Vem

Vem boiadeiro, vem
Gira o seu laço na mão
Seu boiadeiro, toca boi, toca boiada
De dia, de madrugada, ele é o rei lá do sertão
Chapéu de couro, ele toca seu berrante
Ele faz sua zuada, nas bandas do chapadão, seu boiadeiro
Vem boiadeiro, vem
Gira o seu laço na mão

Boiadeiro amigo leal

Boiadeiro é meu, é meu amigo leal
Boiadeiro é catimbó, é meu amigo leal

Boiadeiro no Clarão da lua

Mas ele veio pelo rio de contas
Vem caminhando pela aquela rua
Olha que beleza, seu boiadeiro no clarão da lua

Boiadeiro por aqui choveu

Sabia lá no sertão
Passa três meses cantando
Sabiá lá no sertão
Que não canta passa nove
Sabiá lá no sertão
De tristeza já não canta
Porque tem obrigação
De cantar só quando chove
Seu boiadeiro por aqui choveu
Seu boiadeiro por aqui choveu
Choveu que água rolou
Foi tanta água que meu boi nadou
Seu boiadeiro por aqui choveu
Seu boiadeiro por aqui choveu
Choveu que água rolou
Foi tanta água…. sabiá cantou

Boiadeiro Venâncio

Cem anos se passaram
Venâncio viveu a vida
De amor e alegria
Era festa todo dia
Ê boiadeiro, ê boiadeiro
Ê boiadeiro, ê boiadeiro
Vindo do céu a voz de Deus falou
Vindo do céu a voz de Deus falou
O cavalo, a viola
No céu a lua
No vento a chuva
Você boiadeiro viveu
E hoje no terreiro
Abençoa os filhos de umbanda
Velho sábio, verdadeiro
Em nome de Oxalá Nosso Senhor

Cadê minha corda?

Cadê minha corda de laçar meu boi?
O meu boi fugiu, eu não sei aonde foi
Cadê minha corda de laçar meu boi?
O meu boi fugiu, eu não sei aonde foi
Abre esse campestre que eu quero passar
Quero ver meu gado, aonde ele está?
Abre esse campestre que eu quero passar
Quero ver meu gado, aonde ele está?
Jetuá, jetuá, minha corda de laçar
Jetuá, jetuá, aonde for eu vou buscar
Jetuá, jetuá, minha corda de laçar
Jetuá, jetuá, aonde for eu vou buscar

Camarada Boiadeiro

Tava dormindo ê, minha boiada escapou
Eu chamei meus camarada ê
Camarada, meu camarada chegou

Meu pai comprou uma linda boiada
Eu perdi no jogo e fiquei sem nada
Meu pai comprou uma linda boiada
Eu perdi no jogo e fiquei sem nada

Chapéu de Couro

Eu tenho meu chapéu de couro
Eu tenho minha guiada
Eu tenho meu lenço vermelho
Para tocar minha vaquejada

Com laço de couro fino

Com laço de couro fino
Capote de pele quente
Seu vaquejada já ta saindo
Sua boiada partiu na frente

Despedida de Boiadeiro

Mais um adeus, aleluia adeus
Mais um adeus, aleluia adeus
Vou pra jurema, quem vai se embora sou eu
Vou pra jurema, quem vai se embora sou eu

Eu já vou, já vou
Eu já vou pra lá
Tupã me chama
Eu já vou me arretirar

Dois dois de Ouro

E quem vem lá é dois, dois de ouro
Quem vem lá, boiadeiro sou eu
A cancela do meio bateu
Sou eu boiadeiro, sou eu
Boiadeiro, boiadeiro, sua boiada esparramada
Boiadeiro chama seu guia, e vai ter sua boiada

Eu venho de longe

Eu venho de longe, bem longe
Eu venho ajuntar o meu gado
Minha guiada eu trago na mão
Só falta meu laço de lado
Minha guiada eu trago na mão
Só falta meu laço de lado

casa espirita de oxossi

Baianos

Pontos de Baianos

Anel de Ouro

Meu senhor não maltrate esse nego
Esse nego caro me custou
Ele usa camisa listrada calça de veludo e anel de doutor
Esse nego é doutor
Ele diz que é senhor
Mas ele é seu doutor
Mas ele é seu senhor

Baiana da saia rendada

Oh Bahia, Bahia de nosso Senhor do Bonfim
Oh Bahia, pede a Oxalá por mim
Baiana da saia rendada
Tabuleiro de acarajé
Baiana esta no terreiro, sambando no candomblé
Oh Bahia, Bahia de nosso Senhor do Bonfim
Oh Bahia, pede a Oxalá por mim

Baiana Feiticeira

Baiana faz e não manda, nem tem medo de demanda
Baiana feiticeira, filha de nagô
Trabalha com pó de pemba, pra ajudar Babalaô
Baiana sim, baiana vem
Que a mandinga com dendê

Baiano na luz da lua cheia

Baiana chegou na aldeia, na luz da lua cheia
Estremece os corações, e a fé ele incendeia
Pisa leve pisa manso meu nego, oh lua meia
Clareia o congá, quando olha mamãe sereia
Quando pisa na areia o mar já balanceia
Joga a rede pescador, proteção Mãe das Candeias

Baiano povo trabalhador

Baiano é povo bom, povo trabalhador
Quem mexe com Baiano, mexe com nosso Senhor

Baiano é povo bom

Baiano é povo bom, tem mironga no congá
Mandinga ele traz, feitiço no samba
Samba baiano, samba sinhá,
Baiano vai embora levando todos os má

Coquinho venceu demanda

Quando eu vim da Bahia, estrada eu não via
Cada encruza que eu passava, uma vela eu acendia
Coquinho, coquinho, Baiano
Coquinho lá da Bahia
Coquinho venceu demanda
Com a Senhora da Guia
Quando eu vim lá da Bahia, eu trouxe meu patuá
Terreiro que tem mironga, Baiano quer mirongá
Bahia eeee, Bahia eea
Na Bahia tem vou mandar buscar
Lampião de vidro sinhá dona para clarear

Dendê no Balaio

Com dendê no seu balaio, com padê no seu boná
Chegou povo da Bahia, pronto para trabalhar

Ele é baiano ele arrebenta a sapucaia

Ele é baiano, ele arrebenta a sapucaia
Ee meu pai, ele arrebenta a sapucaia
Ele é da Bahia, esse baiano vale ouro
Ele é da Bahia, salve seu Chapéu de Couro

Ladeira do Abaeté

Ela é da ladeira, ladeira do Abaeté
Baiana saia rendada, rainha do Candomblé

Oh meu senhor do Bonfim

Oh meu senhor do Bonfim
Valei-me meu salvador
Venha salvar nossa gente
Que o povo da Bahia chegou
Bahia, Bahia, Bahia de São Salvador
Quem nunca foi à Bahia, peça a Deus nosso Senhor

Olha eu Camarada

Mas olha eu camarada, camarada meu
Sou Severino que chegou aqui agora,
Candomblé bato no Keto, Umbanda bato na Angola

Pisar no Catimbó

Vamos Baianada pisar no catimbó
Amarrar os inimigos na pontinha do cipó

Trouxe meu Patuá

Quando eu vim lá da Bahia, eu trouxe meu patuá
Terreiro que tem mironga, Baiano vai moringa
Bahia eee, Bahia eea

Quem não viu baiano bom

Quem não viu baiano bom
Corra e venha ver agora
Ele quebra mandinga
Ele vence demanda
Ele vem de aruanda
Vamos todos saravá

Se ele é baiano, agora que eu quero ver

Se ele é Baiano agora que eu quero ver
Dançar catira no azeite de dendê
Eu quero ver os Baianos da Aruanda
Trabalhando na Umbanda
Pra Quimbanda não vencer

Só se for agora

Só se for agora, só se for agora
Baiano bota inimigo, da porta pra fora

Valei-me senhora Aparecida

Valei-me Senhora Aparecida
Por que tu és a grande padroeira
Valei-me Senhora do Amparo
Estrela guia e o meu povo da Bahia
Valei-me Senhor do Bonfim
E os Baianos deste padroeiro
Valei-me Orixá formoso
Que gira, gira nesse terreiro
Quem vem na frente é seu Zé Pilintra
Com seu chapéu de lado
Seu lenço encarnado
E vem saldar filhos de Nazareno
Pra dar mais luz nesse terreiro