Ervas que Curam

Alfazema

De origem mediterrânea, essa erva está sempre associada à limpeza. Antigamente, os romanos a utilizava em seus banhos. Também conhecida como lavanda, seu óleo essencial possui muitas aplicações terapêuticas.

Quando inalada alivia a exaustão, insônia, irritabilidade e depressão. Foi muito utilizada por mulheres em travesseiros, cujo odor as auxiliava na recuperação dos desmaios provocados pelo uso de corpetes apertados.

Duas plantas aparentadas chamadas spica e (L. latifolia) e lavandin (L. intermedia) são produzidas em maior quantidade, mas seu aroma é mais áspero, com mais presença de cânfora, e suas qualidades curativas são inferiores, embora elas ainda sejam úteis como desinfetantes. Menos dispendiosas na produção, elas em geral são vendidas como lavanda.

Propriedades terapêuticas da alfazema: anti-séptica, estimulante da circulação, alivia espasmos musculares e cãibra.

O uso da alfazema é considerado seguro e amplamente utilizado em óleos terapêuticos. Auxilia no tratamento de dores musculares, dores de cabeça e inflamações. Seu óleo é um poderoso anti-séptico e auxilia no tratamento de diversas infecções pulmonares, respiratórias, vaginais e especialmente candidíases.

A alfazema é adequada para todos os tipos de pele e supostamente age como regeneradora de células. É usada em cicatrizações e no tratamento de estrias diversas.

Pode ser utilizada em queimaduras, feridas, lesões de pele e infecções cutâneas. A lavanda também é usada para indigestão e cólicas, e estimula a imunidade. Pesquisadores da aromaterapia afirmam a efetividade no relaxamento das ondas cerebrais e redução do estresse.

*IMPORTANTE: As informações aqui apresentadas tem objetivo de divulgar esta cultura popular, não dispensa, em hipótese alguma, orientações médicas.
Anúncios