O Congá

O que é um Congá

Além de ser uma “mesa litúrgica”, local consagrado à celebração do culto, o congá de terreiro também é o norte religioso de um templo. É para esta direção que todos se voltam para baterem suas cabeças, abrirem suas giras, incorporarem suas entidades e para realizarem outros atos litúrgicos.

Congá de Terreiro

É a estrutura energética de sustentação do templo, ou seja, é estrutura coletiva, estrutura que serve ao terreiro e a todos que compõem a sua egrégora. Corrente mediúnica, dirigente espiritual, Orixás, entidades e assistência são as partes formadoras desta egrégora. Por mais que pensemos na assistência como necessitados em busca de auxílio espiritual, estas pessoas são tão assíduas nos trabalhos mediúnicos quanto nós, os médiuns de corrente. Muitas vezes comparecem ao terreiro na mesma frequência que os filhos de santo, participam da abertura, entram no local de trabalho, passam por consulta ou passe e, em muitas casas, acompanham o fechamento.

Portanto, o congá é a estrutura energética de sustentação dos agentes envolvidos na composição ritualística de um terreiro de Umbanda. Não qualquer estrutura de sustentação, o congá, em um terreiro de Umbanda, é a principal. Está interligado a todos os demais pontos energéticos da casa. Congá, tronqueira, chão do terreiro, porteira, assentamentos e firmezas, seja da área de assistência (imagens, quadros, balaios) ou não. Formam entre si um complexo energético semelhante aos chacras de nosso corpo. Todos estes pontos de captação e emissão de energia devem estar em harmonia para que o axé do terreiro (seu poder de realização) tenha capacidade de fluir.

O fluxo de energias surge do alto através da irradiação divina, atinge o congá e o congá distribui este fluído energético (axé) ao restante do terreiro. Sem congá não há circulação (captação e emissão) de energia.

Formatos

O congá pode ter muitos formatos. Pode ser uma mesa, podem ser prateleiras individuais para cada força entronada, pode ser uma prateleira para todos os poderes, podem ser prateleiras umas acima das outras, podem ser mesas mais prateleiras, enfim, podem ser de diversas formas. Assim, podem formar triângulos, colunas, escadas e outras figuras geométricas que variam de acordo com o histórico e as escolas umbandistas a qual o dirigente já fez e ainda faz parte.

Aliado a este fato, temos também a relevância de sua atuação junto à assistência como fonte de referência imagética (de imagens e seus significados). Vejam, ao ver Jesus Cristo com os braços abertos saberão que aquele templo prega as máximas cristãs, ao encontrar santos católicos terão ciência imediata da influência católica junto à ética ali presente. Não estou dizendo que é bom ou ruim. Isto não cabe julgar aqui. Estamos diante de um estudo direcionado e analisando o que acontece empiricamente. Estou expondo um fato que repercute no fluxo de imagens mentais e conceitos formadores de opinião da assistência para com o terreiro em seu primeiro contato.

Devemos estar alinhados com aquilo que nosso terreiro reflete para que sempre saibamos quais são os nossos valores espirituais e, por mais diferentes que sejamos diante de nossos irmãos umbandistas ou de outras religiões, honraremos estes valores para que nos conduza corretamente na jornada espiritual de uma vida.

Congá familiar

Geralmente substituímos o termo congá familiar para altar particular ou altar caseiro a fim de gerar a ideia de um local simples de culto dentro de casa. Chamar uma mesa de cadeira e uma cadeira de mesa não nos traz a possibilidade de sentarmos na mesa e comermos na cadeira. Os nomes não mudam as coisas. Chamar uma maçã de abacaxi não aumentará a acidez da maçã. Contudo, o nome não altera o estado da coisa, mas altera o nosso posicionamento em relação a esta mesma coisa.

O congá familiar é uma estrutura de sustentação energética familiar, como o próprio nome diz. O congá de terreiro é estrutura de sustentação energética de terreiro, ou seja, de corrente mediúnica e de trabalhos junto à uma corrente mediúnica.

Dizemos familiar porque nenhuma estrutura sagrada dentro de nossos lares é exclusiva de alguém. Um núcleo familiar, mesmo com todos os problemas ideológicos existentes, é uma forte união de pessoas. O mentor de um médium é um ser de alta luz e acompanha a jornada espiritual desta pessoa. Para que isto ocorra, a família é componente importante. Não estou me referindo a laços de sangue e sim, de laços familiares. Aqui estão incluídos os filhos que moram no exterior (não há barreiras de espaço para os espíritos), os filhos de outros relacionamentos, os filhos adotivos, os filhos consanguíneos, as madrastas, os padrastos. A lista é variável de acordo com a unidade familiar. Esta estrutura de sustentação energética, mesmo que edificada e mantida por um único membro, atua sobre todos. O inverso também acontece. Vejamos.

Os desequilíbrios de um lar também desequilibram a energia dos congás familiares. Isto é fato que encontramos no dia-a-dia. Do mesmo modo, o desequilíbrio da corrente mediúnica afeta o equilíbrio do congá. Se assim não ocorresse, não precisaríamos realizar a manutenção e sustenta-lo constantemente. É fato corriqueiro em nossos terreiros recebermos mensagens de nossos mentores espirituais para acendermos velas, colocarmos flores, folhas e outros elementos ou procedimentos para a solução de algum problema como, por exemplo, acalmar os ânimos e apagar fogueiras repentinas advindas de energias contrárias ao bom andamento de uma casa de luz. Médiuns, dirigentes ou não, seus congás (familiar ou de terreiro) merece atenção constante por meio da comunicação mediúnica que se dá por diversas formas, a intuição, a visão, a audição, a incorporação, a irradiação dentre outros processos já conhecidos por nós.

Diante do exposto, é melhor ter ou não ter?

Esta resposta merece sua análise pessoal e subjetiva. Olhar para dentro de si e verificar se existe responsabilidade mediúnica e compromisso com a obra espiritual de Deus é o principal argumento para responder esta pergunta, já que o congá familiar não lhe fará mais forte para incorporar espíritos. Não está no congá familiar a solução definitiva para os males do mundo. Tudo o que uma pessoa precisa para alcançar a plenitude de sua manifestação espiritual já nasce com esta própria pessoa. Por esta razão, nascemos em um núcleo familiar. Temos estas pessoas como amparadoras de nossa caminhada e as assemelhamos à Deus e suas divindades, pois denominamos estes de Pai Criador, pais e mães Orixás. Damos tamanho valor a estas figuras que desejamos que Deus e suas criações sejam seu reflexo. Isto molda nosso caráter e define nossa postura diante do sagrado.

Devo ou não edificar um congá em minha casa? Só você poderá decidir.

Prós: todos os benefícios que um congá de terreiro pode oferecer. Estrutura energética de sustento, amparo, manutenção e harmonização espiritual.

Contras: Manutenção e atenção diária, custo de material e vigília de conduta moral e ética para com o sagrado a fim de manter a estabilidade de energia.

Pese seus prós e seus contras dentro de seu cotidiano e decida por si só. Ao médium praticante é extremamente necessário a autorização do Guia Chefe e também do dirigente espiritual (são duas pessoas diferentes) do templo que frequenta.

Conga na umbanda

Texto: Adérito Simões
Foto: Gabriel Castro

Mentores de Cura

Mentores de Cura

Quem São os Mentores de Cura?

Os mentores de cura trabalham em diversas religiões, inclusive na Umbanda. São muito discretos em sua forma de se apresentar e trabalhar, e estas formas mudam de acordo com a religião ou local em que irão atuar. São espíritos de grande conhecimento, seriedade e elevação espiritual. Alguns deles não demonstram muito sentimento mas mesmo assim têm muita vontade de ajudar ao próximo, com o tempo tedem a evoluir também para um sentimento maior de amor ao próximo.

São extremamente práticos, não aceitando conversas banais ou ficar se estendendo a assuntos que vão além de sua competência ou nos quais não podem interferir, pois não são guias de consulta no sentido ao qual estamos habituados na Umbanda.

Para se ter uma idéia melhor, sua consulta seria o pólo oposto à consulta com um Preto Velho. Normalmente os pretos velhos dão consultas longas, cheias de ensinamentos de histórias, apelando bem para o lado emocional. Já os Mentores de Cura, se dirigem ao raciocínio, buscam fazer o encarnado compreender bem as causas de suas enfermidades e a necessidade de mudança nessas causas, bem como a necessidade de seguirem à risca os tratamentos indicados. Quando precisam passar algum ensinamento o fazem em frases curtas e cheias de significado, daquelas que dão margem à longas meditações.

São espíritos que quando encarnados foram: Médicos, Enfermeiros, Boticários, Orientais (que exercem sua própria medicina desde bem antes das civilizações ocidentais), Religiosos (monges, freis, padres, freiras, etc.), ou exerceram qualquer outra atividade ligada a cura das enfermidades dos seres humanos, seja por métodos físicos, científicos ou espirituais.

Métodos de Trabalho

Cada guia tem sua forma de restituir a saúde aos encarnados, normalmente se utilizam de meios dos quais já se utilizavam quando encarnados, mas de forma muito mais eficiente, pois após chegarem ao plano espiritual puderam aprimorar tais conhecimentos. Além disso esses espíritos aprenderam a desenvolver a visão espiritual, através da qual podem fazer uma melhor anamnese (diagnóstico) dos males do corpo e da alma.

Aliados aos seus próprios métodos individuais eles se utilizam de tratamentos feitos pelas equipes espirituais ou ministrados pelos encarnados com auxílio do plano espiritual.

Alguns deles são:

Cirurgia Espiritual

É realizada pelo mentor de cura incorporado ao médium. E envolve a manipulação do corpo físico através das mãos do médium, podendo ou não haver a utilização de meios cirúrgicos elementares (cortes, punções, raspagens, etc…). O maior representante deste método de trabalho no Brasil é o espírito do Dr. Fritz, mas este método é utilizado em diversas culturas e religiões.

Cirurgia Perispiritual

É realizada diretamente no perispírito do paciente, com ou sem a colaboração de um médium presente, costuma ser realizada por uma equipe espiritual designada especificamente para cada caso e ser feita em dia e horário pré determidados.

Visita Espiritual

É realizada por uma equipe espiritual, que visita o paciente no local onde ele estiver repousando, também com um dia e hora predeterminados. Na visita, darão passes, farão orações, etc…

Cromoterapia

É indicada pelos mentores de cura e aplicada por médiúns que conheçam o método de aplicação. Atua no corpo físico e no duplo etérico. Muito utilizado para males de origem emocional.

Fluidoterapia

É indicada pelos mentores de cura e aplicada por médiúns que conheçam o método de aplicação. Atua no corpo físico e no perispírito.

Reiki

É indicada pelos mentores de cura e aplicada por médiúns que conheçam o método de aplicação. Atua no corpo físico e no duplo etérico. Muito utilizada para males de origem emocional ou psíquica e para realinhamento de chacras.

Homeopatia

Indicada e receitada pelos mentores espirituais. As fórmulas são feitas normalmente por laboratório de manipulação homeopáticos. E devem ser tomados de acordo com o determinado.

Outros

Fora estes tratamentos, também podem ser utilizados, florais de Bach, cristaloterapia, chás, aromaterapia, acumpuntura, do-in, etc…

Em alguns casos os guias também indicam dietas, alimentos a serem evitados ou ingeridos para melhoria da saúde geral.

OBS: Para o momento da visita espiritual e cirurgia espiritual: O paciente deverá vestir-se e deitar-se com roupas claras (de preferência branca); ficar num ambiente calmo, com pouca luz e colocar ao lado um copo d’água para ser bebida após o tratamento.

Após a visita e a cirurgia, o paciente deverá manter-se em abstenção por mais 6 horas, para que a energia doada seja melhor absorvida.

Como interagem com os médiuns

Incorporação

É muito sutil e dificilmente inconsciente a incorporação dos mentores de cura. Muitas vezes atuam apenas na fala e só assumem o controle motor quando necessário.

Intuição

Alguns mentores trabalham com seus médiuns apenas pela via intuitiva, indicando as providências a tomar e tratamentos. Neste caso, é necessário um grande equilíbrio e desenvolvimento do médium, para que o mesmo não atrabalhe nas indicações dadas pelo mentor.

Psicografia (Receitistas)

Funciona da mesma forma que a psicografia comum, mas os espíritos comunicantes costumam psicografar receitas de tratamentos e medicamentos (que em alguns casos podem até mesmo ser da medicina comum).

Equipes Espirituais

Cirúrgicas

São formadas da mesma forma que as equipes cirúrgicas do plano material, compostas de cirurgião, assistente, anestesista, instrumentista, enfermeiros, etc… Apenas diferem no que se refere aos instrumentos e tecnologia utilizados. Incluindo também a aplicação de passes e energias associados a intervenção cirúrgica.

De Oração

Formadas normalmente por espíritos religiosos, acostumados às preces quando encarnados. Estas equipes se reúnem junto ao paciente em uma corrente de orações com finalidade de equilibrar o mental e emocional do paciente e também de buscar energias dos planos superiores. Como efeito adicional, a prece tende a elevar a energia gelal do ambiente onde está o paciente, assim como dos encarnados que estam atuando junto ao mesmo.

De Proteção

Quando o mal físico está associado a interferência de espíritos inferiores, essas equipes fazem a proteção do paciente, enquanto o mesmo é tratado nas cirurgias ou visitas, ou enquanto está seguindo as recomendações indicadas pelos mentores de cura.

De Passes (passe espiritual)

Seu trabalho é realizado em sua maior parte durante as sessões de cura e durante as visitas espirituais. Dando passes no paciente, nos assistentes e nos médiuns; antes, durante e após a sessão.

De Apoio

Estas equipes atuam levantando o histórico do paciente diretamente no seu campo mental, preparando-o através da intuição para a consulta, estimulando-o através do pensamento a reeducar hábitos nocivos, a mudar as situações que estejam prejudicando a própria saúde, inspirando-os força de vontade para continuar os tratamentos e seguir as recomendações e dietas.

O que curam e o que não curam

Males Físicos

A maior parte dos males físicos de que os encarnados sofrem, são causados pelos maus hábitos, vícios e má alimentação. Os mentores nestes casos se utilizam das diversas terapias para a cura mas principalmente esclarecem ao encarnado quanto a órigem de tais males, sugerindo dietas, o abandono ou diminuição dos vícios e mudança de hábitos. Nestes casos a cura definitiva só pode ser obtida com a plena conscientização do paciente e com a sua força de vontate e compromisso na obtenção do equilíbrio orgânico.

Males Mentais

Parte dos males mentais (depressão, angústia, apatia) são causados por obsessores, mas a maior parte deles tem por origem a própria atitude mental do paciente. Pensamentos negativos atraem energias negativas, que quando se tornam constantes e intensas podem se materializar no corpo físico na forma de doenças. Males como: úlceras, enxaquecas, hipertensão, problemas cardíacos, e até mesmo algumas formas de câncer podem ser provocados pela mente do pacinte, quando esta se encontra tomada por pensamentos negativos.Também neste caso os mentores além de indicarem os tratamentos apropriados, esclarecem ao paciente quanto a necessidade de mudar a atmosfera mental, com objetivo de não ficar atraindo continuamente energias desequilibrantes, costumam também sugerir passeios por locais da natureza e o hábito da prece como forma de atrair energias novas e regeneradoras.

Males Kármicos

Os males kármicos se caracterizam por doenças incuráveis (fatais ou não) tanto pela medicina alternativa, quanto por terapias alternativas ou por meios espirituais. Nestes casos o tratamento visa o alívio do paciente ou ampará-lo emocionalmente para que sua atitude mental não tome o rumo da revolta ou do desespero.

As doenças karmicas são males que escolhemos antes de encarnar como forma de resgatarmos erros passados. Típicos males kármicos são: Cegueira de nascença, mudez, Idiotia, Eplepsia, Sindrome de Down, Más-Formações do corpo físico, etc. Na maior parte são males de nascença, embora algumas doenças possam ter sido “programadas” para surgir em determinada época da encarnação.
Nestes casos os mentores não podem (e nem deveriam) curar o corpo, pois através do padecimento deste é que o espírito está resgatando suas faltas e aprendendo valiosas lições para sua evolução e crescimento.

Males Espirituais

São aqueles causados pela atuação dos espíritos (obsessores, vampirizadores, etc.) e que se refletem no corpo físico. Nestes casos os mentores cuidam do corpo físico enquanto o paciente é tratado também em sessões de desobsessão, descarrego, etc.
Ou seja os mentores com as terapias à seu alcance minimizam e atenuam os males causados ao corpo físico enquanto o paciente é tratado na origem espiritual do mal de que sofre.

Quando o paciente se vê livre da presença espiritual nociva, os mentores costumam ainda continuar com os tratamentos visando reparar os males que já haviam sido causados ao organismo, até que ele retorne ao seu equilíbrio.

A Sessão de Cura

 

A Preparação

Muito tempo antes dos portões da casa espiritual se abrirem ou dos médiuns chegarem, o ambiente destinado aos tratamentos já está sendo limpo e preparado.
Os procedimentos começam com o isolamento da casa que é cercada por equipes de vigilantes espirituais (os exus), que impedem a entrada de espíritos perturbadores e fazem a limpeza fluídica dos encarnados que chegam. Caso seja nessessário, podem provocar até mesmo um mal estar ou utra situação de forma a afastar as pessoas que venham a casa espiritual com má intenção ou envolta em fluidos que possam perturbar os trabalhos.

Logo após se procede a limpeza do ambiente interno da casa e em seguida há uma energização do ambiente. Em paralelo a isto, alguns espíritos trazem até o ambiente alguns fluidos extraídos da natureza, para serem utilizados posteriormente no tratamento dos pacientes.

Em seguida a isso vão chegando a casa os mentores com suas equipes de trabalho de forma a se reunirem e fazerem o planejamento dos trabalhos a serem executados.

Fora da casa espiritual, os médiuns que irão ser veículo dos mentores, devem estar se preparando física e mentalmente para os trabalhos, e já estão sendo magnetizados e preparados pelo plano espiritual de forma a terem maior sintonia com os mentores.

Quando os médiuns chegam à casa, continuam sendo preparados pelas equipes espirituais. E enquanto cuidam do ritual (incensos, cristais, velas, etc.) vão entrando em sintonia com o plano espiritual. A preparação termina com a prece de abertura, onde o pensamento dos encarnados e desencarnados se une numa súplica ao Divino Médico para que ele interceda por todos.

Após isso os mentores de cura se manifestam e dão sua mensagem indvidual para o início dos trabalhos.

A Mesa

A mesa da sessão de cura é composta por 3 ou 4 médiuns que devem se manter em concentração/oração durante todo o tempo em que estiverem compondo a mesa, e só devem romper a concentração após a partida de todos mentores que estiverem trabalhando.

A mesa funciona como um ponto focal de energias, é através da mesa que chegam as energias e ordens de mais alto e são distribuídas às equipes. Por ser um local onde existe alta concentração/oração é o ponto para onde convergem as energias mais puras e mais sublimes da sessão de cura. Eventualmente, podem se manifestar à mesa algum mentor de cura, ou algum dos médiuns pode ser utilizado em alguma psicografia (por isso mesmo é interessante manter lápis e papel á mesa).

Na mesa também fica a água a ser fluidificada, e alguns elementos a escolha do Dirigente Espiritual que se fazem necessários para aquela Gira específica. Também pode-se colocar o nome de algumas pessoas que receberão irradiação.

Os Médiuns

Os médiuns que não estiverem trabalhando com seus mentores, compondo a mesa ou atuando como cambones dos mentores devem manter o silêncio a concentração e a oração.

Devem utilizar esse momento para permitir que seus próprios mentores os preparem para futuramente trabalharem com eles. E ter também consciência de que toda a energia positiva que estiverem atraindo para os trabalhos de cura através de sua concentração/oração estará sendo amplamente utilizada pelos mentores e pelas equipes de cura para levar a caridade a todos os que estiverem sendo tratados.

O Encerramento

No encerramento, os mentores de cura dão suas mensagens finais e partem. Neste momento os médiuns que compõem a mesa também podem romper a concentração. Todos os médiuns tomam da àgua fluidificada que está na mesa. E caso o dirigente julgue conveniente, pode efetuar a leitura de alguma mensagem que porventura tenha sido psicografada.

No plano espiritual, o trabalho ainda continua, com distribuição de serviço entre as equipes espirituais. Somente após a saída de todos os médiuns e com o encerramento dos trabalhos de cura no plano espiritual é que a corrente dos vigilantes (exus) se desfaz, embora a casa continue sendo vigiada, apenas não de forma tão ostensiva.

14200306383285

– Retirado da Apostila do Curso de Umbanda da Sociedade Espiritualista Mata Virgem

Aroeira

A aroeira mansa é uma árvore de porte pequeno, que tem muitas propriedades em suas folhas e casca. Sendo usada para diversas aplicações, seja na forma de chá ou até de banhos e compressas.
Esta não deve ser confundida com as aroeiras brancas ou bravas, que causam efeitos adversos como a urticária, edemas e eritemas. Também são espécies de aroeira-mansa: aroeira do campo, almecegueira e lentisco, rasteira, mole e outras.

Historicamente a aroeira foi utilizada pelos jesuítas que, com sua resina, preparavam o Bálsamo das Missões , famoso no Brasil e no exterior. A planta inteira é utilizada externamente como antisséptico no caso de fraturas e feridas expostas.

beneficios-do-cha-de-aroeira

Propriedades terapêuticas
Anti-diarréica, antileucorreica, adstringente, balsâmica, diurética, emenagoga, purgativa, estomáquica, tônica, vulnerária, anti-inflamatória, fungicida e bactericida.

Indicações Terapêuticas
Azia, gastrite, febre, cistite, uretrite, diarreia, blenorragia, tosse, bronquite, reumatismo, íngua, dor de dente, gota e ciática.

As folhas da planta são balsâmicas e frequentemente usadas para curar feridas, erisipela, infecções cutâneas causadas por bactérias, entre outras. O chá das folhas é aplicado em compressas nesses casos. Assim também quando o caso é de doenças reumáticas, artrite, distensão de tendões, dores ciáticas e gota, sendo aplicadas massagens ou compressas e banhos bem quentes.

Em infusão ou decocção, este chá pode ajudar em casos de doenças como do trato urinário, problemas com os órgãos digestivos, diarreias entre outras.

Preparo do chá de aroeira
Uso interno:

Adicionar 100 gramas do pó das cascas de Aroeira em 1 Litro de água fervente, tomar 3 a 4 colheres de sopa ao dia. Pode-se adoçar com 01 colher de açúcar ou adoçante ou Fazer a decocção de um litro de água com 3 ou 4 pedaços (20 ou 30g) da casca de aroeira por 15 minutos e, depois de frio, deixar na geladeira e beber durante o dia.

Uso externo:

O chá pode ser usado em banhos e lavagens, de preferência mornos. Para preparar banhos: cozinha-se 1 litro de água com 25g de cascas da planta e toma-se um banho bem quente por quinze minutos, muito utilizado em casos de afecções de pele e reumatismo.

Para fins terapêuticos são utilizados as folhas, cascas e sementes da planta.

*IMPORTANTE: As informações aqui apresentadas tem objetivo de divulgar esta cultura popular, não dispensa, em hipótese alguma, orientações médicas.

Natal Solidário 2016

Mais um se passou, mais um ano de luta, de conquistas e de muita alegria para todos nós da Casa Espírita de Oxóssi.
Novamente tivemos a imensa oportunidade de ajudar a realizar mais um evento do Natal Solidário Criança Feliz, que nessa edição completou 10 anos de realizações.
Com a ajuda de várias pessoas conseguimos arrecadar brinquedos, roupas, e várias outras coisas que nos proporcionou um evento incrível com muito amor e alegria!

fotorcreated-1

Este ano conseguimos ajudar 140 crianças a realizarem o Sonho de Natal, recebendo do próprio Papai Noel uma sacola com brinquedos, roupas e calçados! Com a doação de refrigerantes e lanches motamos uma super hora do lanche, com direito a pipoca e algodão doce.

O melhor de um evento Sem Nenhum cunho religioso, é que juntamos as pessoas em prol de uma só Missão, a Missão do amor, da caridade e da humildade. O evento foi realizado em um salão de uma Paróquia, envolvendo voluntários Umbandistas, Católicos e Evangélicos. Mas além da religião de cada um, o evento envolveu pessoas. Pessoas com um coração tão grande e tão cheio de amor, que ultrapassa qualquer “barreira” religiosa. Que o mundo continue assim, evoluindo, e aproximando as pessoas com o mesmo propósito, Ajudar o próximo!

fotorcreated-2

Obrigado a todos os envolvidos!
Que Oxalá, Jesus Cristo, Maomé, Jeová, lhe abençoe cada vez mais!

Vidas Passadas

Vidas Passadas

Por que Não Lembramos de Nossas Vidas Passadas?

Reencarnação

Para falar de esquecimento do passado, devemos entender de que passado estamos falando. Na Umbanda, no espiritismo (e diversas outras religiões) tem como uma de suas premissas, a sobrevivência da alma e sua passagem pelo plano material. Não vamos entrar aqui no mérito desta questão. Reencarnação e vida espiritual constituem sozinhas um tema inteiro de palestra. Assim, peço para aceitarem estes conceitos como verdadeiros, para que possamos entender o tema da palestra de hoje.

Assim, então, cada um de nós já esteve aqui, neste mesmo mundo, encarnado da mesma forma que hoje, apenas que com um corpo material diferente, filho de pais diferentes, em uma época e um local diferentes. Teve as mesmas necessidades materiais, diversos anseios, desejos e etc. Conviveu com diversas pessoas, tomou muitas decisões, cometeu erros, acertou outras vezes. Tudo isso aconteceu, diversas e diversas vezes, e somou experiência a cada um de nós, somou lições que são incorporadas e nunca perdidas.

Porque esquecemos?

Surge então, naturalmente, a todos nós a questão: Se eu passei por tudo isso, porque não me lembro de nada?

Deus, em sua imensa sabedoria, sabe muito bem o que é melhor para nós, como crianças espirituais que somos. Temos necessidades específicas, muitas delas nem sequer conhecemos ou gostamos. Todo pai sabe muito bem que tem que impor, certas vezes, coisas às crianças. Ninguém gosta de ver uma criança chorando, mas sabe que isso não é importante se o choro vem do fato dela ter tomado uma vacina. O pequeno mal causado a ela é, em muito, compensado pelos benefícios da imunização às doenças. Assim também age Deus conosco. Sabe que muitas coisas nos são necessárias, por isso no-las impõe.

O conhecimento excessivo pode ofuscar as pessoas. Tal como a uma criança, não se fala de morte, doença e etc. sem o devido cuidado e na correta medida, saber coisas do nosso passado pode ser muito doloroso, de nenhum proveito à nossa evolução.

Oportunidade de Remissão

Cada vida que passamos encarnados é uma oportunidade de redimir as faltas que cometemos. Somos colocados nas mesmas situações, frente a frente com as mesmas pessoas e locais, para podermos corrigir os erros e aprender a não comete-los mais. Se nos lembrássemos de todas as existências anteriores, teríamos uma vantagem injusta. Faríamos as coisas não porque aprendemos, mas apenas porque lembramos do erro. Não teríamos o mérito da atitude que tomamos, sem o qual não evoluímos efetivamente. Assim, Deus nos dá a chance de tentarmos de novo, mas não nos tira o mérito da boa ação.

Está tudo perdido ?

Também surge a questão: Não nos lembraremos mais do nosso passado?
Devemos nos lembrar que a vida principal é a do espírito, que cada encarnação é apenas um processo de aprendizado, mas que sempre voltamos ao plano maior. É assim que, após cada encarnação, quando do outro lado da vida, lembramo-nos das existências anteriores, como quem lembra cada ano passado na escola. Claro que a lembrança completa de todas as existências só ocorrerá quando estivermos bastante evoluídos, pois a pessoa não deixa de ser em nada o que ela é apenas por ter alterado seu estado, de modo que nem todos estão prontos para suportar, mesmo que desencarnados, as revelações do passado.

Assim, o espírito só tem lembrança de alguns fatos mais relevantes de suas existências, fatos estes que ele usa para definir como será sua próxima existência, escolhendo os problemas, situações, pessoas que conhecerá e demais dados, visando sempre seu aprendizado e aprimoramento. Não se importa com as dificuldades, prefere-as mesmo, pois sabe que elas o levarão adiante.

E Nesta Existência

Nova pergunta nos aparece, então: Toda a nossa experiência, tudo o que passamos, é perdido a cada nova encarnação?
Se olharmos o esquecimento do passado sem o devido cuidado, podemos pensar que sim.

Já que ele diz que esquecemos de tudo, então tudo o que aprendemos foi perdido, temos que aprender tudo de novo.

A experiência de vida nos prova o contrário. Quem nunca ouviu falar daquelas crianças que são pequenos gênios, que sem que ninguém ensinasse nada, ou com um pequeno aprendizado, são capazes de fazer coisas como se fossem adultos?
De onde viria esta experiência, senão de vidas passadas.

Porque dois irmãos, criados na mesma casa, expostos aos mesmos estímulos, educados da mesma forma, podem ser tão diferentes entre si?

Acontece que o passado está esquecido, sim, mas não perdido. Está gravado em nossa mente num local que não nos permite ir lá e lembrar o que houve, mas permite usar aquilo para o nosso bem. É o nosso subconsciente. Assim, a voz intuitiva de nossa consciência, é muitas vezes a lembrança adormecida e escondida do nosso passado que vem à tona para refrear nossos erros do presente.

Assim também ocorre com as pessoas que convivemos. Todos nós não temos aqueles com quem nós afinamos imediatamente? Não temos aquela pessoa que conhecemos no trabalho, vizinha da nova casa ou até mesmo no ônibus, e imediatamente gostamos? Não temos aqueles que queremos estar sempre juntos deles, mesmo que sem saber o porque? E não há o inverso? Aqueles que imediatamente não gostamos? Que tudo o que fazem parece errado?

Pois bem estes são os amigos e inimigos do passado que reencontramos. Não nos lembramos deles, até porque podem estar bem diferentes do que eram. Mas guardamos lá dentro de nós o secreto conhecimento de sua existência, e dos motivos que temos para estarmos juntos de novo.

Lembrar do Passado Ajuda ?

Outro aspecto interessante ocorre quando pensamos o que faríamos com o conhecimento do passado, se lembrássemos de tudo? Todos devem conhecer todos os aspectos da vida. Assim, todos passam por etapas como ricos, pobres, saudáveis, doentes e etc. Não importa como vivemos, e sim o que fazemos de nossas vidas. Mas cá entre nós, quem não gostaria de saber que já foi rei?

Não seria bom, quando conversasse com outra pessoa, mencionar, assim por cima, que já governamos todo um reino. Que tínhamos mil serviçais ao nosso dispor, para atender todos os nossos desejos. Não seria bom?

Claro que seria, mas isso seria útil? Aí está a grande questão. Deus respeita nossa vontade, através do livre arbítrio, mas quer o melhor para nós, impõe-nos limites para evitar que nosso orgulho e vaidade nos atrapalhe. Responda-me você, como se sentiria, sabendo que já foi rainha um dia, na hora de lavar roupa? Lembrando, enquanto toma o ônibus lotado, que houve época em que homens fortes lhe carregavam para todo lado onde fosse? Será que ajuda ou atrapalha?

E não são só as coisas boas não. Imagine então como se sentiria ao falar com alguém que você soubesse que matou em outra vida? Não se sentiria humilhado? Não ficaria imaginando se ele não quereria vingança? Não teria sua consciência lhe cobrando o tempo todo?

Orgulho e humilhação. Estes seriam os resultados destas lembranças. Em nada ajudariam para nossa evolução. Só atrapalhariam. Deus sabe o que faz.

Vidas Passadas

Estamos Sempre Juntos

Se encarnamos, como já dissemos, é para aprender coisas novas e corrigir os erros do passado. Por isso estamos sempre cercados daqueles com quem convivemos em outras vidas. Mas seria fácil perdoar uma pessoa que nos fez um grande mal no passado, mesmo que hoje fosse alguém próximo, como um pai, um irmão ou mesmo um filho?

Voz da Consciência

Deus nos deu o que realmente necessitamos. É a capacidade de saber o que é certo e errado. Tira-nos a lembrança do passado, que em nada nos auxilia. É aquilo que chamamos de consciência, é a lembrança interior do que fizemos, é dela que precisamos. Assim, não importa saber quem fomos ou o que fizemos em outras vidas. O que importa é aproveitar o tempo de encarnado, que é curto e raro, para corrigir nossas más tendências, nossos defeitos. Sim porque mudar maus hábitos é coisa difícil e complicada. Não é de um dia para outro que paramos de fumar, de comer demais, de falar mal do próximo, de ser preguiçosos.

Ninguém se torna santo de um dia para o outro. É um trabalho árduo, difícil, lento, que começa com a atitude, e que com a repetição dessa atitude torna-se um hábito, e que com mais repetição torna-se sentimento, para aí sim incorporar-se de modo definitivo.

Podemos Lembrar?

Finalmente, uma última questão nos surge: Podemos lembrar, de alguma forma, do passado? A resposta é sim. Antes, devemos considerar que Deus só quer o melhor para nós. Em função disso, Ele sabe que, algumas vezes, uma pequena revelação aqui, um clarão do passado ali, podem auxiliar alguém que esteja perdendo o rumo, que não esteja ouvindo bem o que sua consciência lhe diz. Tudo sempre com um propósito definido, e não para apenas suprir curiosidade sem uso prático.

Isso significaria que nunca poderíamos saber de nada. Os tempos atuais mostram que não é bem assim. Como já disse, Deus, em seu infinito amor e bondade, respeita nossa vontade, até quando queremos algo que pode nos prejudicar. Ele indica o caminho, mas os passos são sempre nossos. Com o aumento do conhecimento da ciência, naturalmente o homem vai entrando em caminhos antes intransponíveis. Hoje temos técnicas desenvolvidas por médicos e psicanalistas, conhecidas como “Regressão a Vidas Passadas” que permitem ir muito além do que normalmente seria possível.

As pessoas que estão envolvidas nestes processos nem sempre são tão esclarecidas quanto às verdades e necessidades do indivíduo perante sua vida espiritual, de modo que podem fornecer revelações nem sempre úteis para as pessoas. É bom, ou é ruim? Só Deus e a pessoa que passa por isso é que pode dizer. Não podemos julga-los, mas se pensarmos um pouco no que já foi discutido, da utilidade de saber de detalhes das outras vidas, vamos concluir que este conhecimento deve ter limites, do contrário ficaremos ofuscados com a verdade.

Olha o Teu Presente

Para aqueles que tiverem curiosidade de saber o que foram no passado, mas não queiram enfrentar as conseqüências do excesso de informação, os livros da codificação nos dão uma dica preciosa. Preciosa porque é baseada em informações que já temos, portanto sem medo de saber o que não é bom. O Espírito da Verdade nos diz, literalmente: “Se queres saber como foi teu passado, olha teu presente, tudo o que passas hoje é resultado do que fizestes ontem”.

Como é isso então? Basta lembrar das Leis de Deus, da Lei de Causa e Efeito e da Lei de Justiça. A primeira diz que tudo o que fazemos tem um efeito, se fazemos coisas boas, resultam em coisas boas, se fazemos coisas não tão boas, resultam em coisas não tão boas.

A segunda garante que tudo o que fizemos, de bom ou de mau, retornará para nós na exata medida. Ora, olhemos nossa vida, que nos acontece de ruim? Foram as coisas ruins que fizemos. Que nos acontece de bom? Foram as coisas boas que fizemos. O que gostamos de fazer? Foram as coisas que mais fizemos no passado. O que não gostamos de fazer? Foram as coisas que falhamos no passado. O que nos acontece sempre e sempre? É a lição que não aprendemos e somos expostos para gravar. O que nunca nos acontece? São as lições aprendidas, que não precisam mais ser repetidas.

Conclusão

O passado é bom, porque nos trouxe até aqui, onde estamos hoje. De acerto em acerto, de erro em erro, foi o que nos fez o que somos hoje. E se devemos aprender a nos amar, a nos aceitar como somos, devemos então aceitar nosso passado. Mas o melhor do passado é onde ele está, no passado, fechado aos nossos olhos até o momento em que poderemos encara-lo. Assim, olhar para ele para evitar cair em nossos erros é bom, mas nosso foco deve ser sempre o Futuro. Se Deus preferiu esconder de nós, Ele, o Criador do Universo, o Pai Amoroso, o Princípio Fundamental de todas as coisas, então é porque isso é melhor para nós. Devemos pois aprender a aceitar Seus desígnios, entender o que ele quer de nós, e fazer isso, pois melhor não há.

Palestra “Esquecimento do Passado” – 16/Nov/1996 – Ednilsom Montanhole
Fonte: http://www.espirito.org.br

Prece de Cáritas

Prece de Cáritas

Deus nosso Pai,
que Sois todo poder e bondade,
dai força àquele que passam pela provação,
dai luz àquele que procuram a verdade,
ponde no coração do homem a compaixão e a caridade.

Deus,
dai ao viajor a estrela Guia,
ao aflito a consolação,
ao doente o repouso.

Pai,
dai ao culpado o arrependimento,
ao espírito, a verdade,
à criança o guia,
e ao órfão, o pai.

Senhor,
Que a vossa bondade se estenda sobre tudo que criaste.
Piedade, Senhor, para aqueles que Vos não conhecem,
e esperança para aqueles que sofrem.
Que a Vossa bondade permita aos espíritos consoladores,
derramarem por toda à parte a paz, a esperança e a fé.

Deus,
um raio, uma faísca do Vosso amor pode abrasar a Terra,
deixai-nos beber nas fontes dessa bondade fecunda e infinita,
e todas as lagrimas secarão,
todas as dores se acalmarão.
E um só coração, um só pensamento subirá até Vós,
como um grito de reconhecimento e de amor.
Como Moisés sobre a montanha,
nós Vos esperamos com os braços abertos.
Oh! bondade, Oh! Poder, Oh! beleza, Oh! perfeição,
e queremos de alguma sorte merecer a Vossa divina misericórdia.

Deus,

Dai-nos a força para ajudar no progresso
a fim de subirmos até Vós,
Dai-nos a caridade pura,
Dai-nos a fé e a razão,
Dai-nos a simplicidade que fará de nossas almas
Um espelho onde se refletirá a Vossa Divina e Santa imagem.

Que assim seja!

Prece de Caritas

Campanha Solidária 2016

Novamente esse ano nos reunimos em prol da Comunidade. Com a ajuda de muitos colaboradores reunimos roupas, sapatos e conseguimos montar um café da manhã juntamente com uma Sacolinha de Doces para distribuirmos nesse 12 de Outubro.

O mais interessante desse local, é que muitos dos moradores dessa comunidade localizada em baixo do Viaduto na Av. Alcântara Machado, são trabalhadores com empregos fixos e por falta de condições em alugar uma casa ou até comprar, teve que buscar moradia com seus filhos nesse lugar. Ouvimos várias histórias e em sua maioria não são dependentes químicos, mas apenas famílias, que com o aumento exorbitante do custo de vida na cidade, tiveram que abrir mão de seus lares.

fotorcreated

Pensando nessas histórias, e lembrando o quanto somos abençoados por termos nossos lares e nossas famílias ao nosso lado.
Decidimos nos torna um ponto de Coleta Permanente para essas famílias, aceitando durante o Ano Inteiro doações de roupas, produtos de higiene, e produtos para bebês (Fraldas etc.)
Sempre que você tiver uma sacola de roupa e algo que não use e que seria útil a outra pessoa, deixe separado. Quase sempre o que não serve para você, faz falta para outra pessoa.

campanha Solidaria

Entre em contato! Participe você também!