Pontos de Cigano

 

Cigana da Estrada

Quem nesse mundo nunca ouviu dizer
E nesse mundo nunca ouviu falar
De uma cigana que mora naquela estrada
Ela tem sua morada sob o clarão do luar
Cigana da estrada, moça poderosa
Me dê proteção e axé ciganinha formosa
Cigana da estrada, moça poderosa
Me dê proteção e axé ciganinha formosa

Cigana Rainha das Rosas

Caminhando pela madrugada
Muito longe eu avistei
Uma moça na calçada
Linda morena cigana
Me diga quem você é
Eu sou Rainha das Rosas Cigana do Candomblé
Eu vou abrir seus caminhos Acredite se quiser,
Eu vou mudar sua vida Eu sou cigana de fé.

Cigana do Oriente

Ela é uma cigana faceira, ela é
Ela é das sete linhas e não é de Candomblé
Ela vem de muito longe os seus filhos ajudar
Ela vem de muito longe, Saravá esse Conga

Ela é uma cigana faceira, ela é
Ela é das sete linhas e não é de Candomblé
Ela vem de muito longe os seus filhos ajudar
Ela vem de muito longe, Saravá esse Conga

Cigana Formosa, Cigana Rosa

Quando ouvi pela primeira vez aquela gargalhada
Achei uma coisa tão linda, senti uma força cigana
Olhando no meio da roda, tava lá uma cigana formosa
Ela é a cigana formosa, cigana Rosa
Quando ouvi pela primeira vez aquela gargalhada
Achei uma coisa tão linda, senti uma força cigana
Olhando no meio da roda, tava lá uma cigana formosa
Ela é a cigana formosa, cigana Rosa

Ciganinha eu preciso de você

Oh ciganinha eu preciso de você
Oh ciganinha eu preciso de você
Vamos jogar o jogo da amarelinha
Seu eu perder você me ganha
Se eu ganhar você é minha

Oh ciganinha eu preciso de você
Oh ciganinha eu preciso de você
Vamos jogar o jogo da amarelinha
Seu eu perder você me ganha
Se eu ganhar você é minha

Oh cigana, ciganinha da sandália de pau
Oh cigana, ciganinha da sandália de pau
Quando chega no terreiro faz o bem e leva o mal
Quando chega no terreiro faz o bem e leva o mal

De vermelho e preto vestindo a noite o mistério traz
De colar de cor, brinco dourado a promessa faz
Se é preciso ir, você pode ir, peça o que quiser
Mas cuidado amigo, ela é bonita, ela é mulher
Mas cuidado amigo, ela é bonita, ela é mulher
E no canto da rua, zombando, zombando, zombando está
Ela é moça bonita, oi girando, oi girando, oi girando lá
E no canto da rua, zombando, zombando, zombando está
Ela é moça bonita, oi girando, oi girando, oi girando lá

Oi girando, laroiê
Oi girando, laroiê
Oi girando, laroiê
Oi girando, laroiê
Oi girando, laroiê
Oi girando, laroiê

Rosa branca, rosa vermelha, rosa amarela
A cigana é faladeira, todo mundo gosta dela
Rosa branca, rosa vermelha, rosa amarela
A cigana é faladeira, todo mundo gosta dela
Rosa branca, rosa vermelha, rosa amarela
A cigana é faladeira, todo mundo gosta dela

Rainha Cigana

Sou poeira, poeira de existência
Sou real e eterna, eu sou rainha
Sou rainha, sou mais eu
Em castelos eu vivi
Mas nas tendas fui feliz
Fiz o meu reinado pelas estradas
O meu mundo é encantado
Sou cigana, sou raiz
Sete raios eu venci
Passei em cachoeiras, plantei sementes
Mas na chama ardente foi que eu venci
Sou rainha, sou mais eu
Sou rainha cigana
Soberana na estrada, de madrugada
O sol e a lua são a minha morada

Sorriu pra mim

Sorriu para mim, uma cigana formosa
Tão bonita e tão dengosa, em sua mão, traz uma rosa
Despetalou sobre mim, sem deixar cair espinhos no meu caminho
Esta morena faceira, quando ela chega levanta poeira
Roda cigana, moça formosa, é tão bonita que parece uma rosa

Vida de Ciganos

Quando o sol não mais brilhar
E a lua surgir, os ciganos vem trabalhar
Quando o sol não mais brilhar
E a lua surgir, os ciganos vem trabalhar

Como é bonita a madrugada na estrada
Os ciganos trabalhando cumprindo sua missão
Que coisa linda Carmencita com baralho
Cigana Rosita lendo a sorte na mão
Chora toda banda, chora
O sol vai surgir e eles vão estrada afora
Chora toda banda, chora
O sol vai surgir e eles vão estrada afora

Pomba-Gira Cigana da Estrada

Veja meu destino, oh cigana, quero ser feliz
Por onde passas, sempre semeia raiz
Eu caminhava na estrada sem saber aonde ir
Me deparei com uma moça que firme olhou pra mim
Com seu vestido de lenço, e um baralho na mãe
Me disse que era cigana e ia ler a minha mão
Veja meu destino, oh cigana, quero ser feliz
Por onde passas, sempre semeia raiz
Salve as linhas cruzadas, da palma da minha mão
Ela mostrou meu caminho, me deu sua proteção
Hoje me encontro feliz, dentro da religião
Eu sou um filho de Umbanda, tenho paz no coração
Veja meu destino, oh cigana, quero ser feliz
Por onde passas, sempre semeia raiz.

povo-cigano

Anúncios

Pontos de Exu

– CLIQUE AQUI PARA OUVIR –

Canto a Tranca Rua das Almas

De capa e cartola caminha na madrugada
Andarilho da estrada, sempre combatendo o mal
Seu Tranca Ruas é amigo camarada
Dando forte gargalhada, me livra de todo o mal
A laroiê Exu, a Mojubá
Melhor que Tranca Rua das Almas não há
Sete marafos coloquei na encruzilhada
Sete velas e charutos, também levei um padê
A meia noite chamei por seu Tranca Ruas
Ouvi forte gargalhada, ele veio me valer
A laroiê Exu, a Mojubá
Melhor que Tranca Rua das Almas não há
Faço um pedido no meio da encruzilhada
Pra Tranca Rua das Almas, antes do galo cantar
Se o galo canta, é sinal que ta na hora
Firma gira meu Ogã que Tranca Ruas vai embora
A loroiê Exu, a Mojubá
Melhor que Tranca Rua das Almas não há

Deu meia noite

Deu meia noite, a lua se escondeu
Lá na encruzilhada dando a sua gargalhada
Tranca Rua apareceu
É Laroê, laroê, é loroê
É Mojubá, mojubá, é mojubá
Ele é Odara dando a sua gargalhada
Quem têm fé em Tranca Rua
É só pedir que ele dá

Eu vi Exu dando gargalhadas

Eu vi Exu dando gargalhadas
Com tridente na mão, sua capa bordada
Com tridente na mão, sua capa bordada
Ele é Exu Tiriri
Morador lá da Kalunga, vem firmar seu ponto aqui

Portão de ferro, Cadeado de madeira

Portão de ferro, cadeado de madeira
Portão de ferro, cadeado de madeira
Exu toma conta, Exu preste a conta
Seu Exu feche a nossa Porteira
Seu Exu feche a nossa Porteira

Exu Tatá Caveira

Soltaram um bode preto meia noite na Kalunga
Soltaram um bode preto meia noite na Kalunga
Ele correu os quatro canto, foi parar lá na porteira
Bebeu marafo, com Tatá Caveira
Ele correu os quatro canto, foi parar lá na porteira
Bebeu marafo, com Tatá Caveira

Exu Gira Mundo

Girou, girou, girou Exu Gira Mundo
Girou, girou, pomba gira que vence demanda
Rainha da encruza, saravá Umbanda
Girou, girou, girou Exu Gira Mundo
Girou, girou, pomba gira que vence demanda
Rainha da encruza, saravá Umbanda
Eee saravá Umbanda, eea saravá Umbanda
Eee saravá Umbanda, eea saravá Umbanda
Girou, girou, girou Exu Gira Mundo
Girou, girou, pomba gira que vence demanda
Rainha da encruza, saravá Umbanda
Girou, girou, girou Exu Gira Mundo
Girou, girou, pomba gira que vence demanda
Rainha da encruza, saravá Umbanda
Eee saravá Umbanda, eea saravá Umbanda
Eee saravá Umbanda, eea saravá Umbanda

Exu Meia Noite

Deu meia noite na terra e mar
Deu no mato, na kalunga, em todo lugar
Seu Meia Noite não tem hora pra chegar
Quando chega meia noite, chega em qualquer lugar

Lá na encruzilhada

Lá na encruza, na encruza
Existe um homem valente
Com sua capa e cartola
E seu punhal entre os dentes, a madrugada
É madrugada, é madrugada
E ele esta do meu lado
Por isso eu te digo Tranca Ruas
Você é meu advogado

Exu Arranca Toco

Oh meu senhor das almas de mim não faça pouco
Oh meu senhor das almas de mim não faça pouco
Olha lá que ele é Exu, é Exu Arranca Toco
Olha lá que ele é Exu, é Exu Arranca Toco

Sem Exu não se faz nada

Exu da meia noite, Exu da encruzilhada
Salve o povo de Quimbanda
Sem Exu não se faz nada
Exu da meia noite, Exu da encruzilhada
Salve o povo de Quimbanda
Sem Exu não se faz nada

Seu Sete Catacumbas já chegou

Seu Sete Catacumbas já abriu sua tumba
Seu Sete Catacumbas já abriu e saiu
Gargalhou, gargalhou
Seu Sete Catacumbas já chegou
As almas eu adorei, atotô
As almas eu adorei, atotô

Sino da Igrejinha

O sino da igrejinha faz Belém blem blom
Deu meia noite o galo já cantou
Seu Tranca Rua que é dono da gira
Oi corre gira que Ogum mandou
O sino da igrejinha faz Belém blem blom
Deu meia noite o galo já cantou
Seu Tranca Rua que é dono da gira
Oi corre gira que Ogum mandou

casa espirita de oxossi

Pontos de Defumação

– CLIQUE AQUI PARA OUVIR –

A Umbanda já acendeu seu candieiro

A umbanda já acendeu seu candieiro
A umbanda já firmou seu congá
A umbanda preparou o seu terreiro
Esta na hora vamos defumar
Oh mais como cheira, mas como cheira
Defumador de umbanda
Cheira alecrim, a umbanda
Cheira benjoim, a umbanda
Cheira alfazema, a umbanda
Pai Xangô, rei de umbanda
Venha nos defumar
Minha mãe sereia leve o mal para o fundo do mar
Estou defumando, estou incensando
Vou defumando, estou incensando
A casa do bom Jesus da Lapa
Nossa Senhora defumou seu filho
Defumou para limpar
Abrindo as portas pra felicidade entrar

Defuma com as ervas da Jurema

Defuma com as ervas da Jurema
Defuma com arruda e guiné
Alecrim, benjoim e alfazema
Vamos defumar filhos de fé

Vamos cruzar nosso terreiro
Vamos cruzar nosso congá
Vamos cruzar a nossa gira
Na fé de Pai Oxalá

Foi, foi Oxalá
Quem mandou eu pedir
Quem mandou implorar
Que as santas almas viessem me ajudar
Seu Tranca na encruza de joelho a gargalhar

Defumação – Corre gira Pai Ogum

Corre gira Pai Ogum, filho quer se defumar
Umbanda tem fundamento, é preciso preparar
Com incenso e benjoim, alecrim e alfazema
Defuma filhos de fé, com as ervas da Jurema

Defumei a minha banda

Defumei a minha banda e firmei meu jacutá
Da Bahia eu vim meus filhos, pra Bahia eu vou girar
Defumei a minha banda e firmei meu jacutá
Da Bahia eu vim meus filhos, pra Bahia eu vou girar
Defumei a minha banda e firmei meu jacutá
Da Bahia eu vim meus filhos, pra Bahia eu vou girar

Nossa Senhora incensou a Jesus Cristo

Nossa Senhora incensou a Jesus Cristo
Jesus Cristo incensou aos filhos seus
Eu incenso, eu incenso esta casa
Na fé de Oxóssi de Ogum e Oxalá
Estou incensando, estou defumando
A casa do Bom Jesus da Lapa

casa espirita de oxossi

Pontos de Cosme e Damião

-CLICK AQUI PARA OUVIR-

A sua casa cheira

Cosme e Damião, a sua casa cheira
Cheira cravo, cheira rosa, cheira flor de laranjeira
Cosme e Damião, a sua casa cheira
Cheira cravo, cheira rosa, cheira flor de laranjeira

Cocada e Guaraná

Titia me deu cocada
Titio me deu guaraná
Gostei foi do caruru
Que a mamãe mandou preparar
Mamãe me deu caruru
Eu comi caruru de mamãe

Coco que faz a cocada

Na Bahia tem um coco
Coco que faz a cocada
Coco que faz o manjar
Para dar para a beijada
Doum, doum, doum,
Doum, Cosme e Damião
Doum, doum, doum,
Brinca sentado no chão

Damião cadê Doum?

Cosme Damião, Damião cadê Doum?
Doum ta passeando, no cavalo de Ogum
Cosme Damião, Damião cadê Doum?
Doum ta passeando, no cavalo de Ogum

Ibeijada esta de ronda

Ibeijada esta de ronda
São Jorge de prontidão
Salve o povo de aruanda
Salve Cosme e Damião

Ibeijada vai embora

Ibeijada já vai embora, aruanda esta lhe chamando
Ibeijada já vai embora, aruanda esta lhe chamando
E vão pro jardim lá do céu, Oxalá esta lhe esperando
E vão pro jardim lá do céu, Oxalá esta lhe esperando
Ibeijada já foi embora, aruanda estava chamando
Ibeijada já foi embora, aruanda estava chamando
E foram pro jardim do céu, Oxalá estava esperando
E foram pro jardim do céu, Oxalá estava esperando

Papai me mande um balão

Papai me mande um balão
Com todas as crianças que tem lá no céu
Papai me mande um balão
Com todas as crianças que tem lá no céu
Tem doce papai, tem doce papai, tem doce lá no jardim
Tem doce papai, tem doce papai, tem doce lá no jardim

casa espirita de oxossi

Pontos de Caboclo

Cabocla Iracema

Quem pode pode com a folha da Jurema
Que atira a flecha muito mais além do mar
Mas ela é uma cabocla de pena
É a Cabocla Iracema, dona do seu jacutá
Mas ela é uma cabocla de pena
É a Cabocla Iracema, dona do seu jacutá

Cabocla Jurema filha de Tupi

No centro da mata virgem
Uma linda cabocla eu vi
No centro da mata virgem
Uma linda cabocla eu vi
Com seu saiote, feito de penas
Era a Jurema, filha de Tupi
Com seu saiote, feito de penas
Era a Jurema, filha de Tupi
Jurema, Jurema, Jurema
Linda cabocla filha de Tupi
Ela vem lá da Juremá
Vem firmar seu ponto neste congá
Ela vem lá da Juremá
Vem firmar seu ponto neste congá

Cabocla Jussara, Jandira e Jurema

Mas eu mandei fazer, três capacetes de pena
Eu mandei fazer, três capacetes de pena
Um é pra Jussara, um é pra Jandira, outro é pra Jurema
Um é pra Jussara, um é pra Jandira, outro é pra Jurema

Caboclo Sete Estrelas

Nas matas lá da Jurema
Eu vi uma estrela brilhar
Nas matas lá da Jurema
Eu vi uma estrela brilhar
Oi era uma estrela de Oxóssi
Anunciando que caboclo vai chegar
Oi era uma estrela de Oxóssi
Anunciando que caboclo vai chegar
Oke, Oke, Caboclo
Caboclo Sete Estrelas no Conga
Oke, Oke, Caboclo
Vem de Aruanda, pra seus filhos ajudar

Caboclo Arranca Toco

Lá no alto da floresta
Lá tem um lindo caboclo, lá no alto
Lá no alto da floresta
Lá tem um lindo caboclo
Mas ele é o Caboclo Arranca Toco
Ele é um caçador, ele é rei lá da floresta
Seu bodoque é muito forte, sua flecha é uma flor
Sua falange é poderosa, Oxalá foi quem mandou
É hora, é hora, do Caboclo Arranca Toco
Hora de Arranca Toco, hora de todos Caboclos
É hora, é hora, do Caboclo Arranca Toco
Hora de Arranca Toco, hora de todos Caboclos

Caboclo Cobra Coral

Mas como é lindo, assistir festa na mata
Ouvir o som da cascata, e o lindo canto do sabiá
Que noite linda, que linda noite de luar
Foi no clarão da lua, eu vi Cobra coral passar
A mata estava em festa, toda coberta de flores
Até os passarinhos cantam, oh meus Caboclos
Mas eles cantam em seu louvor,
Até os passarinhos cantam, oh meus Caboclos
Mas eles cantam em seu louvor,
Oh, oh, oh, oh, quanta beleza
Oh, oh, oh, oh, quanto explendor
Como é bom ter a certeza

Que Cobra coral é nosso protetor
Oh, oh, oh, oh, quanta beleza
Oh, oh, oh, oh, quanto explendor
Como é bom ter a certeza
Que Cobra coral é nosso protetor

Caboclo Flecheiro

Vocês tão vendo aquele meu caboclo
Que está em cima daquele lajedo
Olhando o tempo para não chover
Pedindo a lua pra sair mais cedo
Oke caboclo, oke caboclo, flecheiro
Oke caboclo, oke caboclo, flecheiro
Vocês tão vendo aquele meu caboclo
Que está em cima daquele lajedo
Olhando o tempo para não chover
Pedindo a lua pra sair mais cedo
Oke caboclo, oke caboclo, flecheiro
Oke caboclo, oke caboclo, flecheiro
E toda tribo deste meu caboclo
Adora o canto de um Rouchinol
De manhã cedo segue o meu flecheiro
Pra dar a ele o romper do sol

Caboclo Mata Verde

No terreiro de Umbanda, uma estrela brilhou
Afirma a corrente, Mata Verde chegou
Iê, iê, iê Caboclo vem trabalhar
Salve os Caboclos, seu ponto vamos cantar
Salve o povo de Aruanda, salve meu Pai Oxalá
Salve todos de Umbanda, salve todo o Jurema

Caboclo Mata Virgem

Sentado embaixo de um arvoredo
No meio da mata virgem uma coral piou
É o Caboclo Mata Virgem, que na coral se transformou
Foi aí que ele me disse numa linguagem guarani
Sou filho de luar, descendente de Tupi
Tupi, tupi, tupi, tupi
Sou filho de luar, descendente de Tupi

Caboclo Pele Vermelha

Mato quiamba eh, mato quiamba ah
Mato quiamba eh Noriguá, mato quiamba ah
É o caboclo da pele vermelha,
Que veio na aldeia, do Canadá
Seu noriguá é um cacique herói
Que chegou das matas para nos salvar
Noriguá eh, eh, noriguá
Noriguá eh, ae, noriguá

Caboclo Pena Branca

Um grito na mata ecoou,
Foi seu Pena Branca que chegou
Com sua flecha, com seu cocar
Seu Pena branca vem nos ajudar

Caboclo Pena Dourada

É banda, é banda, é banda, é banda, é banda é
É banda, é banda, é banda, é banda, é banda é
Sua banda é de ouro é, sua banda é de ouro é
Seu saiote é de pena dourada, ele cheira a guiné
É banda, é banda, é banda, é banda, é banda é
É banda, é banda, é banda, é banda, é banda é
Sua banda é de ouro é, sua banda é de ouro é
Seu saiote é de pena dourada, ele cheira a guiné

Caboclo Sete Flechas

Curibembê, Curibembá
Sete Flechas é um grande Orixá
Sete dias de nascido
A Jurema o encontrou
Deitado na folha seca
O caboclo ela criou
Curibembê, Curibembá
Sete Flechas é um grande Orixá
Nasceu na mata de oxóssi
Na aldeia de jurema
O caboclo Sete Flechas
Iluminado por Oxalá

Caboclo Tupinambá 

Estava na beira do rio sem poder atravessar
Chamei pelo Caboclo, Caboclo Tupinambá
Estava na beira do rio sem poder atravessar
Chamei pelo Caboclo, Caboclo Tupinambá
Tupinambá chamei
Chamei, tornei chamar ea

Caboclo Ubirajara

Seu Ubirajara lá na mata ele é um rei
Ubirajara na Umbanda é um tatá
Ele é um rei, ele é um tatá
Lá nas matas sua flecha zua
E zua quando sobe, quando desce ela mata
Ele é um rei, ele é um tatá
Sete ondas lá na mata ele é um rei
Na umbanda sete ondas é um tatá
Ele é um rei, ele é um tatá
Lá nas matas sua flecha zua
E zua quando sobe, quando desce ela mata
Ele é um rei, ele é um tatá

Caboclo Ubiratan

Foi na pedreira, que a pedra rolou
Foi na pedreira, que a pedra balanceou
Seu Ubiratan ele é um rei nagô
Ee, seu Ubiratan chegou
Ele vem para ajudar
Oh ele vem para saravá
Ele vem para ajudar
Oh ele vem para saravá

Caboclo vai pra sua aldeia

Seu oxóssi vai pra sua aldeia
Vai pra sua mata, lá na Jurema
Deixa um abraço pra todos seus filhos
Que pediu a benção de Pai Oxalá
Caboclo vai embora, pra cidade da Jurema
Bom Jesus ta lhe chamando, na cidade da Jurema
Ele vai ser coroado, na cidade da Jurema
Com a coroa de arerê

Caboclo, saravá a sua pemba

Foi na Umbanda que eu nasci
Foi na Umbanda que eu cresci
Saravá a sua pemba, oi caboclo
Saravá o seu conga, oi caboclo
Foi na Umbanda que eu nasci
Foi na Umbanda que eu cresci
Saravá a sua pemba, oi caboclo
Saravá o seu conga, oi caboclo

Chamada de Caboclos

Se a coral é sua cinta,
A jibóia é sua laça
Oi, que zoa, que zoa, que zoa ae
Caboclo mora na mata
Oi, que zoa, que zoa, que zoa ae
Caboclo mora na mata

Despedida de Caboclo 1

Caboclo vai embora, pra cidade da Jurema
O bom Jesus ta lhe chamando, pra cidade da Jurema
Mas ele vai ser coroado, pra cidade da Jurema
Com a coroa de arerê, na cidade da Jurema
Caboclo foi embora, pra cidade da Jurema
O bom Jesus ta lhe chamando, pra cidade da Jurema
Mas ele foi ser coroado, na cidade da Jurema
Com a coroa de arerê, na cidade da Jurema
Ele vai, ele vai, ele vai,
Ele vai, mas não vai sozinho,
Ele passa na boca do mato, paronga
Leva seu passarinho

Despedida de Caboclo 2

Sua pena voou, voou foi o vento que levou
Lá se vão todos os caboclos, que a Jurema já chamou
Sua pena voou, voou foi o vento que levou
Lá se vão todos os caboclos, que a Jurema já chamou

Despedida de Caboclo 3

Caboclo apanha a sua flecha
Apanha seu bodoque, o galo já cantou
Caboclo apanha a sua flecha
Apanha seu bodoque, o galo já cantou
O galo já cantou na Aruanda
Oxalá te chama para a sua banda

Despedida de Caboclo 4

A sua terra é longe, e eles vão embora
E vão beirando o rio azul,
Adeus Umbanda que os caboclos vão embora
E vão beirando o rio azul
A sua mata é longe, e eles vão embora
E vão beirando o rio azul,
Adeus Umbanda que os caboclos vão embora
E vão beirando o rio azul

casa espirita de oxossi

Pontos de Boiadeiros

 

A menina do Sobrado

A menina do sobrado mandou me chamar pra seu criado
Eu mandei dizer a ela, estou vaquejando meu gado
Alô boiadeiro, eu gosto de um samba arrojado
Alô boiadeiro, eu gosto de um samba arrojado

Folha por folha, na mangueira têm
Folha por folha, na mangueira têm
Minha guiada, êêê
Minha guiada, êêa

Água de Gravatá

Nas tranças dos seus cabelos,
Eu bebi água de gravatá seu boiadeiro,

Água ao pé da gruta

Água no pé da gruta
Na gruta da Santa Cruz
Seu Boiadeiro é hora, é hora
Sua guiada é de Jesus

Aparei minha roseira

Aparei minha roseira para tirar do caminho
Aparei minha roseira para tirar do caminho
Na aldeia de boiadeiro não se pisa em espinho
Na aldeia de boiadeiro não se pisa em espinho

São sete anos, com sete noites
Que eu andava, na juremeira
São sete anos, com sete noites
Que eu andava, na juremeira

Boa noite meus senhores

Zai, zai, zai, boa noite meus senhores
Zai, zai, zai, boa noite venham cá
Zai, zai, zai, eu me chamo boiadeiro
Zai, zai, zai, aqui e em qualquer lugar
Zai, zai, zai, boa noite meus senhores
Zai, zai, zai, boa noite venham cá
Zai, zai, zai, eu me chamo boiadeiro
Zai, zai, zai, não nego meu natural

Bóia Boiadeiro

Bóia boiadeiro, boiadeiro bóia
Se eu contar minha vida, boiadeiro chora

Boi preto

Ai patrão mas eu também sei carrear
Com ajuda de boi preto
Outra ajuda de boi tatá
Boto canga no boi preto
E vou puxar canaviar

Boiadeiro Trabalhador

De manhã cedo na capela bate o sino
Seu boiadeiro veio aqui para rezar
Trabalhador, não tem noite não tem hora
Galo cantou, ta pronto pra trabalhar

Chibata de Boiadeiro

Não toque nesse boi, que esse boi é cruzado
Ele é de boiadeiro, caboclo valente, sou seu afilhado
Se você precisar, boiadeiro está aqui
Mas não toque boi, que a ponta da chibata pode lhe ferir

Vem Boiadeiro Vem

Vem boiadeiro, vem
Gira o seu laço na mão
Seu boiadeiro, toca boi, toca boiada
De dia, de madrugada, ele é o rei lá do sertão
Chapéu de couro, ele toca seu berrante
Ele faz sua zuada, nas bandas do chapadão, seu boiadeiro
Vem boiadeiro, vem
Gira o seu laço na mão

Boiadeiro amigo leal

Boiadeiro é meu, é meu amigo leal
Boiadeiro é catimbó, é meu amigo leal

Boiadeiro no Clarão da lua

Mas ele veio pelo rio de contas
Vem caminhando pela aquela rua
Olha que beleza, seu boiadeiro no clarão da lua

Boiadeiro por aqui choveu

Sabia lá no sertão
Passa três meses cantando
Sabiá lá no sertão
Que não canta passa nove
Sabiá lá no sertão
De tristeza já não canta
Porque tem obrigação
De cantar só quando chove
Seu boiadeiro por aqui choveu
Seu boiadeiro por aqui choveu
Choveu que água rolou
Foi tanta água que meu boi nadou
Seu boiadeiro por aqui choveu
Seu boiadeiro por aqui choveu
Choveu que água rolou
Foi tanta água…. sabiá cantou

Boiadeiro Venâncio

Cem anos se passaram
Venâncio viveu a vida
De amor e alegria
Era festa todo dia
Ê boiadeiro, ê boiadeiro
Ê boiadeiro, ê boiadeiro
Vindo do céu a voz de Deus falou
Vindo do céu a voz de Deus falou
O cavalo, a viola
No céu a lua
No vento a chuva
Você boiadeiro viveu
E hoje no terreiro
Abençoa os filhos de umbanda
Velho sábio, verdadeiro
Em nome de Oxalá Nosso Senhor

Cadê minha corda?

Cadê minha corda de laçar meu boi?
O meu boi fugiu, eu não sei aonde foi
Cadê minha corda de laçar meu boi?
O meu boi fugiu, eu não sei aonde foi
Abre esse campestre que eu quero passar
Quero ver meu gado, aonde ele está?
Abre esse campestre que eu quero passar
Quero ver meu gado, aonde ele está?
Jetuá, jetuá, minha corda de laçar
Jetuá, jetuá, aonde for eu vou buscar
Jetuá, jetuá, minha corda de laçar
Jetuá, jetuá, aonde for eu vou buscar

Camarada Boiadeiro

Tava dormindo ê, minha boiada escapou
Eu chamei meus camarada ê
Camarada, meu camarada chegou

Meu pai comprou uma linda boiada
Eu perdi no jogo e fiquei sem nada
Meu pai comprou uma linda boiada
Eu perdi no jogo e fiquei sem nada

Chapéu de Couro

Eu tenho meu chapéu de couro
Eu tenho minha guiada
Eu tenho meu lenço vermelho
Para tocar minha vaquejada

Com laço de couro fino

Com laço de couro fino
Capote de pele quente
Seu vaquejada já ta saindo
Sua boiada partiu na frente

Despedida de Boiadeiro

Mais um adeus, aleluia adeus
Mais um adeus, aleluia adeus
Vou pra jurema, quem vai se embora sou eu
Vou pra jurema, quem vai se embora sou eu

Eu já vou, já vou
Eu já vou pra lá
Tupã me chama
Eu já vou me arretirar

Dois dois de Ouro

E quem vem lá é dois, dois de ouro
Quem vem lá, boiadeiro sou eu
A cancela do meio bateu
Sou eu boiadeiro, sou eu
Boiadeiro, boiadeiro, sua boiada esparramada
Boiadeiro chama seu guia, e vai ter sua boiada

Eu venho de longe

Eu venho de longe, bem longe
Eu venho ajuntar o meu gado
Minha guiada eu trago na mão
Só falta meu laço de lado
Minha guiada eu trago na mão
Só falta meu laço de lado

casa espirita de oxossi

Pontos de Baianos

Anel de Ouro

Meu senhor não maltrate esse nego
Esse nego caro me custou
Ele usa camisa listrada calça de veludo e anel de doutor
Esse nego é doutor
Ele diz que é senhor
Mas ele é seu doutor
Mas ele é seu senhor

Baiana da saia rendada

Oh Bahia, Bahia de nosso Senhor do Bonfim
Oh Bahia, pede a Oxalá por mim
Baiana da saia rendada
Tabuleiro de acarajé
Baiana esta no terreiro, sambando no candomblé
Oh Bahia, Bahia de nosso Senhor do Bonfim
Oh Bahia, pede a Oxalá por mim

Baiana Feiticeira

Baiana faz e não manda, nem tem medo de demanda
Baiana feiticeira, filha de nagô
Trabalha com pó de pemba, pra ajudar Babalaô
Baiana sim, baiana vem
Que a mandinga com dendê

Baiano na luz da lua cheia

Baiana chegou na aldeia, na luz da lua cheia
Estremece os corações, e a fé ele incendeia
Pisa leve pisa manso meu nego, oh lua meia
Clareia o congá, quando olha mamãe sereia
Quando pisa na areia o mar já balanceia
Joga a rede pescador, proteção Mãe das Candeias

Baiano povo trabalhador

Baiano é povo bom, povo trabalhador
Quem mexe com Baiano, mexe com nosso Senhor

Baiano é povo bom

Baiano é povo bom, tem mironga no congá
Mandinga ele traz, feitiço no samba
Samba baiano, samba sinhá,
Baiano vai embora levando todos os má

Coquinho venceu demanda

Quando eu vim da Bahia, estrada eu não via
Cada encruza que eu passava, uma vela eu acendia
Coquinho, coquinho, Baiano
Coquinho lá da Bahia
Coquinho venceu demanda
Com a Senhora da Guia
Quando eu vim lá da Bahia, eu trouxe meu patuá
Terreiro que tem mironga, Baiano quer mirongá
Bahia eeee, Bahia eea
Na Bahia tem vou mandar buscar
Lampião de vidro sinhá dona para clarear

Dendê no Balaio

Com dendê no seu balaio, com padê no seu boná
Chegou povo da Bahia, pronto para trabalhar

Ele é baiano ele arrebenta a sapucaia

Ele é baiano, ele arrebenta a sapucaia
Ee meu pai, ele arrebenta a sapucaia
Ele é da Bahia, esse baiano vale ouro
Ele é da Bahia, salve seu Chapéu de Couro

Ladeira do Abaeté

Ela é da ladeira, ladeira do Abaeté
Baiana saia rendada, rainha do Candomblé

Oh meu senhor do Bonfim

Oh meu senhor do Bonfim
Valei-me meu salvador
Venha salvar nossa gente
Que o povo da Bahia chegou
Bahia, Bahia, Bahia de São Salvador
Quem nunca foi à Bahia, peça a Deus nosso Senhor

Olha eu Camarada

Mas olha eu camarada, camarada meu
Sou Severino que chegou aqui agora,
Candomblé bato no Keto, Umbanda bato na Angola

Pisar no Catimbó

Vamos Baianada pisar no catimbó
Amarrar os inimigos na pontinha do cipó

Trouxe meu Patuá

Quando eu vim lá da Bahia, eu trouxe meu patuá
Terreiro que tem mironga, Baiano vai moringa
Bahia eee, Bahia eea

Quem não viu baiano bom

Quem não viu baiano bom
Corra e venha ver agora
Ele quebra mandinga
Ele vence demanda
Ele vem de aruanda
Vamos todos saravá

Se ele é baiano, agora que eu quero ver

Se ele é Baiano agora que eu quero ver
Dançar catira no azeite de dendê
Eu quero ver os Baianos da Aruanda
Trabalhando na Umbanda
Pra Quimbanda não vencer

Só se for agora

Só se for agora, só se for agora
Baiano bota inimigo, da porta pra fora

Valei-me senhora Aparecida

Valei-me Senhora Aparecida
Por que tu és a grande padroeira
Valei-me Senhora do Amparo
Estrela guia e o meu povo da Bahia
Valei-me Senhor do Bonfim
E os Baianos deste padroeiro
Valei-me Orixá formoso
Que gira, gira nesse terreiro
Quem vem na frente é seu Zé Pilintra
Com seu chapéu de lado
Seu lenço encarnado
E vem saldar filhos de Nazareno
Pra dar mais luz nesse terreiro