Pontos de Nanã

Atraca, atraca que aí vem Nanã

Atraca atraca que aí vem Nanã, ea
Atraca atraca que aí vem Nanã, ea
Atraca atraca que aí vem Nanã, ea
Atraca atraca que aí vem Nanã, ea
É Nanã, é Oxum é que vem saravá, ea
Atraca atraca que aí vem Nanã, ea
Atraca atraca que aí vem Nanã, ea
Atraca atraca que aí vem Nanã, ea
Atraca atraca que aí vem Nanã, ea

Lá vem Vovó com sua canoa

Lá vem vovó com sua canoa remando no mar
Lá vem vovó com sua canoa remando no mar
Lá vem vovó com sua canoa remando no mar
Lá vem vovó com sua canoa remando no mar
Oh Nanã, oh Nanã Buruquê
Eu quero ver onde é sua morada
Oi Nanã mora, mora na cachoeira
Mora no rio, e mora nas ondas do mar
Oh Nanã, oh Nanã Buruquê
Eu quero ver onde é sua morada
Oi Nanã mora, mora na cachoeira
Mora no rio, e mora nas ondas do mar

Na lagoa de Nanã

Na lagoa de Nanã, saluba Nanã Buruquê
Na lagoa de Nanã, saluba Nanã Buruquê
Encanta os seus filhos, saluba Nanã Buruquê
Com seu manto iluminado, saluba Nanã Buruquê
Água e terra é seu poder, saluba Nanã Buruquê

Cordeiro de Nanã

Sou de Nanã aaaae, sou de Nanã aaaae
Sou de Nanã aaaae, sou de Nanã aaaae
Sou de Nanã aaaae, sou de Nanã aaaae
Sou de Nanã aaaae, sou de Nanã aaaae
Sou de Nanã aaaae, sou de Nanã aaaae

Epa, epa, epa Nanã

Epa, epa, epa, Nanã aluaê
Epa, epa, epa, Nanã aluaê
Epa, epa, epa, Nanã aluaê
Epa, epa, epa, Nanã aluaê

Eu vi Nanã

Eu vi Nanã, eu vi
Sentada na beira do poço
Senhora Santana com o seu manto roxo
Divina Nanã, oi divina Nanã
Venha nos ajudar
Eu vi Nanã, eu vi
Senhora Santa Buruquê, Saluba

Nanã seus filhos lhe pedem

Oh Nanã Buruquê seus filhos lhe pedem seus filhos imploram
Venha ver o terreiro e levar todo o mal na sua marola
Saravá Nanã, auê
Saravá Nanã, aua
Saravá Nanã
Na beira do rio e nas ondas do mar

Nanã (Iorubá)

Nanã é jóaci ialodê
Oh Nanã quibaciló ialodê
Nanã é jóaci ialodê
Oh Nanã quibaciló ialodê
Nanã é jóaci ialodê
Oh Nanã quibaciló ialodê

São flores Nanã, são flores

São flores Nanã, são flores
São flores Nanã Buruquê
São flores Nanã, são flores
De seu filho Abaluaê
São flores Nanã, são flores
São flores Nanã Buruquê
São flores Nanã, são flores
De seu filho Abaluaê
Nas horas de agonia
Quem sempre vem me valer
É seu filho Nanã, é meu pai
Ele é Abaluaê
Ah senhora Santana
É Nanã Buruquê
Ela é mãe dos Orixás
São Roque é Abaluaê
São flores Nanã, são flores
São flores Nanã Buruquê
São flores Nanã, são flores
De seu filho Abaluaê

Saravá Nanã Buruquê

Lerê, lerê, lerê, vamos saravá Nanã Buruquê
Lerê, lerê, lerê, vamos saravá Nanã Buruquê
Na ponta da fita tem dendê, vamos saravá Nanã Buruquê
Lerê, lerê, lerê, vamos saravá Nanã Buruquê
Lerê, lerê, lerê, vamos saravá Nanã Buruquê
Quem corta o mal e salva você, é Nanã, Nanã Buruquê
Lerê, lerê, lerê, vamos saravá Nanã Buruquê
Lerê, lerê, lerê, vamos saravá Nanã Buruquê
Quem é mãe de Abaluaê, é Nanã, é Nanã Buruquê
Lerê, lerê, lerê, vamos saravá Nanã Buruquê
Lerê, lerê, lerê, vamos saravá Nanã Buruquê
Eu já louvei Iansã, eu já louvei Oxum
Agora é você, é Nanã, é Nanã Buruquê
Lerê, lerê, lerê, vamos saravá Nanã Buruquê
Lerê, lerê, lerê, vamos saravá Nanã Buruquê

Senhora Santana quando andou pelos montes

Senhora Santana quando andou pelos montes
Por onde passava deixava uma ponte
Os anjos que vinham beber água dela
Que água tão linda, Senhora tão bela.

Pontos de Nanã

Anúncios