Pontos de Caboclo

Cabocla Iracema

Quem pode pode com a folha da Jurema
Que atira a flecha muito mais além do mar
Mas ela é uma cabocla de pena
É a Cabocla Iracema, dona do seu jacutá
Mas ela é uma cabocla de pena
É a Cabocla Iracema, dona do seu jacutá

Cabocla Jurema filha de Tupi

No centro da mata virgem
Uma linda cabocla eu vi
No centro da mata virgem
Uma linda cabocla eu vi
Com seu saiote, feito de penas
Era a Jurema, filha de Tupi
Com seu saiote, feito de penas
Era a Jurema, filha de Tupi
Jurema, Jurema, Jurema
Linda cabocla filha de Tupi
Ela vem lá da Juremá
Vem firmar seu ponto neste congá
Ela vem lá da Juremá
Vem firmar seu ponto neste congá

Cabocla Jussara, Jandira e Jurema

Mas eu mandei fazer, três capacetes de pena
Eu mandei fazer, três capacetes de pena
Um é pra Jussara, um é pra Jandira, outro é pra Jurema
Um é pra Jussara, um é pra Jandira, outro é pra Jurema

Caboclo Sete Estrelas

Nas matas lá da Jurema
Eu vi uma estrela brilhar
Nas matas lá da Jurema
Eu vi uma estrela brilhar
Oi era uma estrela de Oxóssi
Anunciando que caboclo vai chegar
Oi era uma estrela de Oxóssi
Anunciando que caboclo vai chegar
Oke, Oke, Caboclo
Caboclo Sete Estrelas no Conga
Oke, Oke, Caboclo
Vem de Aruanda, pra seus filhos ajudar

Caboclo Arranca Toco

Lá no alto da floresta
Lá tem um lindo caboclo, lá no alto
Lá no alto da floresta
Lá tem um lindo caboclo
Mas ele é o Caboclo Arranca Toco
Ele é um caçador, ele é rei lá da floresta
Seu bodoque é muito forte, sua flecha é uma flor
Sua falange é poderosa, Oxalá foi quem mandou
É hora, é hora, do Caboclo Arranca Toco
Hora de Arranca Toco, hora de todos Caboclos
É hora, é hora, do Caboclo Arranca Toco
Hora de Arranca Toco, hora de todos Caboclos

Caboclo Cobra Coral

Mas como é lindo, assistir festa na mata
Ouvir o som da cascata, e o lindo canto do sabiá
Que noite linda, que linda noite de luar
Foi no clarão da lua, eu vi Cobra coral passar
A mata estava em festa, toda coberta de flores
Até os passarinhos cantam, oh meus Caboclos
Mas eles cantam em seu louvor,
Até os passarinhos cantam, oh meus Caboclos
Mas eles cantam em seu louvor,
Oh, oh, oh, oh, quanta beleza
Oh, oh, oh, oh, quanto explendor
Como é bom ter a certeza

Que Cobra coral é nosso protetor
Oh, oh, oh, oh, quanta beleza
Oh, oh, oh, oh, quanto explendor
Como é bom ter a certeza
Que Cobra coral é nosso protetor

Caboclo Flecheiro

Vocês tão vendo aquele meu caboclo
Que está em cima daquele lajedo
Olhando o tempo para não chover
Pedindo a lua pra sair mais cedo
Oke caboclo, oke caboclo, flecheiro
Oke caboclo, oke caboclo, flecheiro
Vocês tão vendo aquele meu caboclo
Que está em cima daquele lajedo
Olhando o tempo para não chover
Pedindo a lua pra sair mais cedo
Oke caboclo, oke caboclo, flecheiro
Oke caboclo, oke caboclo, flecheiro
E toda tribo deste meu caboclo
Adora o canto de um Rouchinol
De manhã cedo segue o meu flecheiro
Pra dar a ele o romper do sol

Caboclo Mata Verde

No terreiro de Umbanda, uma estrela brilhou
Afirma a corrente, Mata Verde chegou
Iê, iê, iê Caboclo vem trabalhar
Salve os Caboclos, seu ponto vamos cantar
Salve o povo de Aruanda, salve meu Pai Oxalá
Salve todos de Umbanda, salve todo o Jurema

Caboclo Mata Virgem

Sentado embaixo de um arvoredo
No meio da mata virgem uma coral piou
É o Caboclo Mata Virgem, que na coral se transformou
Foi aí que ele me disse numa linguagem guarani
Sou filho de luar, descendente de Tupi
Tupi, tupi, tupi, tupi
Sou filho de luar, descendente de Tupi

Caboclo Pele Vermelha

Mato quiamba eh, mato quiamba ah
Mato quiamba eh Noriguá, mato quiamba ah
É o caboclo da pele vermelha,
Que veio na aldeia, do Canadá
Seu noriguá é um cacique herói
Que chegou das matas para nos salvar
Noriguá eh, eh, noriguá
Noriguá eh, ae, noriguá

Caboclo Pena Branca

Um grito na mata ecoou,
Foi seu Pena Branca que chegou
Com sua flecha, com seu cocar
Seu Pena branca vem nos ajudar

Caboclo Pena Dourada

É banda, é banda, é banda, é banda, é banda é
É banda, é banda, é banda, é banda, é banda é
Sua banda é de ouro é, sua banda é de ouro é
Seu saiote é de pena dourada, ele cheira a guiné
É banda, é banda, é banda, é banda, é banda é
É banda, é banda, é banda, é banda, é banda é
Sua banda é de ouro é, sua banda é de ouro é
Seu saiote é de pena dourada, ele cheira a guiné

Caboclo Sete Flechas

Curibembê, Curibembá
Sete Flechas é um grande Orixá
Sete dias de nascido
A Jurema o encontrou
Deitado na folha seca
O caboclo ela criou
Curibembê, Curibembá
Sete Flechas é um grande Orixá
Nasceu na mata de oxóssi
Na aldeia de jurema
O caboclo Sete Flechas
Iluminado por Oxalá

Caboclo Tupinambá 

Estava na beira do rio sem poder atravessar
Chamei pelo Caboclo, Caboclo Tupinambá
Estava na beira do rio sem poder atravessar
Chamei pelo Caboclo, Caboclo Tupinambá
Tupinambá chamei
Chamei, tornei chamar ea

Caboclo Ubirajara

Seu Ubirajara lá na mata ele é um rei
Ubirajara na Umbanda é um tatá
Ele é um rei, ele é um tatá
Lá nas matas sua flecha zua
E zua quando sobe, quando desce ela mata
Ele é um rei, ele é um tatá
Sete ondas lá na mata ele é um rei
Na umbanda sete ondas é um tatá
Ele é um rei, ele é um tatá
Lá nas matas sua flecha zua
E zua quando sobe, quando desce ela mata
Ele é um rei, ele é um tatá

Caboclo Ubiratan

Foi na pedreira, que a pedra rolou
Foi na pedreira, que a pedra balanceou
Seu Ubiratan ele é um rei nagô
Ee, seu Ubiratan chegou
Ele vem para ajudar
Oh ele vem para saravá
Ele vem para ajudar
Oh ele vem para saravá

Caboclo vai pra sua aldeia

Seu oxóssi vai pra sua aldeia
Vai pra sua mata, lá na Jurema
Deixa um abraço pra todos seus filhos
Que pediu a benção de Pai Oxalá
Caboclo vai embora, pra cidade da Jurema
Bom Jesus ta lhe chamando, na cidade da Jurema
Ele vai ser coroado, na cidade da Jurema
Com a coroa de arerê

Caboclo, saravá a sua pemba

Foi na Umbanda que eu nasci
Foi na Umbanda que eu cresci
Saravá a sua pemba, oi caboclo
Saravá o seu conga, oi caboclo
Foi na Umbanda que eu nasci
Foi na Umbanda que eu cresci
Saravá a sua pemba, oi caboclo
Saravá o seu conga, oi caboclo

Chamada de Caboclos

Se a coral é sua cinta,
A jibóia é sua laça
Oi, que zoa, que zoa, que zoa ae
Caboclo mora na mata
Oi, que zoa, que zoa, que zoa ae
Caboclo mora na mata

Despedida de Caboclo 1

Caboclo vai embora, pra cidade da Jurema
O bom Jesus ta lhe chamando, pra cidade da Jurema
Mas ele vai ser coroado, pra cidade da Jurema
Com a coroa de arerê, na cidade da Jurema
Caboclo foi embora, pra cidade da Jurema
O bom Jesus ta lhe chamando, pra cidade da Jurema
Mas ele foi ser coroado, na cidade da Jurema
Com a coroa de arerê, na cidade da Jurema
Ele vai, ele vai, ele vai,
Ele vai, mas não vai sozinho,
Ele passa na boca do mato, paronga
Leva seu passarinho

Despedida de Caboclo 2

Sua pena voou, voou foi o vento que levou
Lá se vão todos os caboclos, que a Jurema já chamou
Sua pena voou, voou foi o vento que levou
Lá se vão todos os caboclos, que a Jurema já chamou

Despedida de Caboclo 3

Caboclo apanha a sua flecha
Apanha seu bodoque, o galo já cantou
Caboclo apanha a sua flecha
Apanha seu bodoque, o galo já cantou
O galo já cantou na Aruanda
Oxalá te chama para a sua banda

Despedida de Caboclo 4

A sua terra é longe, e eles vão embora
E vão beirando o rio azul,
Adeus Umbanda que os caboclos vão embora
E vão beirando o rio azul
A sua mata é longe, e eles vão embora
E vão beirando o rio azul,
Adeus Umbanda que os caboclos vão embora
E vão beirando o rio azul

casa espirita de oxossi

Anúncios